Breaking

Arte da Reflexão | Aprendendo a Ouvir Não

Reflexão
   No vocabulário de todos nós existe uma palavrinha que apesar do tamanho, dependendo das circunstâncias, pode causar um enorme estrago na vida de outros. Trata-se do tão conhecido e utilizado "Não". Uma palavra que existe mesmo quando não é pronunciada, mas que nos atormenta em qualquer situação. Seja no gestual negativo, acenando com os dedos ou meneado com a cabeça, não é não e pronto. Tá acabado!
   O fato é que não estamos preparados para esta palavra, apesar de que a vida nos ensina que deveríamos estar.  Na verdade ouvimos não nos mais variados estilos como no caso de uma demissão, que obviamente significa não ás oportunidades, aos planos e objetivos construídos á partir daquele emprego. Ouvimos não quando somos recusados em uma entrevista para uma vaga disponível. Ouvimos não quando somos dispensados de alguma atividade com aquela desculpa costumeira de que é preciso enxugar o quadro.
   Mas não é só na vida profissional que ouvimos não. Na vida emocional, afetiva e conjugal e até mesmo na vida familiar o não nos persegue. Ouvimos não ao sermos traídos, ao percebermos que um parente nos vira as costas, quando vemos nossos filhos nos olhar de lado e nos ignorar, quando sentimos no nosso cônjuge aquele desprezo típico de toda relação que está prestes a ruir. O não definitivamente precisa ser falado, precisa ser ouvido para ser entendido.
   O não é semelhante a um fechar de porta na face. É como uma bofetada desferida no rosto. O que nos fere ao percebermos um não é a força da pancada, mas de onde ela vem. Dói porque ela acaba com as esperanças que tínhamos, com as chances de realizarmos objetivos e continuar planos. "Quando um sonho morre, morre com ele o sonhador". (Tony Casanova).  O não, mesmo quando é preciso ser dito, causa impacto naquele que ouve porque representa um corte nas chances.
 Obviamente nem todo não é ruim, apesar de ser um remédio amargo, ele nos traz a oportunidades, em muitas situações, das chances de cura de alguns vícios e maus hábitos e precisa ser ouvido, sentido para que tenhamos a dimensão de quanto alguns costumes errados precisam ser corrigidos. Na verdade a vida não pode ser somente composta do tão sonhado sim, mas equilibrada também com o não na oposição da balança.  Só o equilíbrio destes dois elementos pode trazer conforto para continuarmos as lutas.
   Ouvir ou perceber um não nos ensina que devemos lutar sempre e nunca desistir, ainda que algumas portas se fechem, ainda que não enxerguemos a luz pequenina ao final do túnel, mesmo que as barreiras pareçam enorme e intransponíveis, devemos aprender que muitas vezes precisamos ouvir um não para acordarmos e mostrarmos que independente daquilo que ouvimos, a nossa luta continua. Um não significa apenas que há um sim maravilhoso nos esperando e se por acaso ainda não o ouvimos é porque nos falta a fé de que ele está nos esperando. 
  Texto do Escritor e Autor Tony Casanova. Todos os Direitos estão Reservados ao Autor assegurados pelas Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos de Propriedade Intelectual.
  Tony Casanova é Autor das obras: Panorama Das Artes,  O amor segundo a Bíblia, No Litoral das Relações - Aprendendo com os Erros, Relações Instáveis - Como Evitar Decepções  e O Amor Fala Francês.  Você poderá adquirir uma ou mais obras do autor acessando ESTE LINK
 Atenção! Este texto foi traduzido automaticamente por terceiros a partir da Língua Portuguesa do Brasil. Poderão ser observados erros de tradução que serão de responsabilidade do tradutor.
...........................................................................................................................................................

      Art of Reflection | Learning to Hear No

   In the vocabulary of all of us there is a word that despite the size, depending on the circumstances, can cause a huge damage in the lives of others. This is the so-called "No". A word that exists even when it is not pronounced, but which torments us in any situation. Be it in the negative gesture, waving your fingers or shaking your head, it's not no, that's it. It's finished!
   The fact is that we are not prepared for this word, even though life teaches us that we should be. In fact we do not listen in the most varied styles as in the case of a resignation, which obviously means not the opportunities, the plans and objectives built from that job. We hear not when we are turned down in an interview for a vacancy. We hear not when we are excused from some activity with that customary excuse that we must wipe the picture.
   But it is not only in professional life that we hear not. In emotional, affective and conjugal life and even in family life, we are not persecuted. We hear not when we are betrayed, when we realize that a relative turns his back on us, when we see our children look at us and ignore us, when we feel in our spouse that typical contempt of every relationship that is about to collapse. The one definitely does not need to be spoken, it needs to be heard to be understood.
   O is not similar to a door lock on the face. It's like a slap in the face. What strikes us when we realize one is not the force of the blow, but where it comes from. It hurts because it takes away the hopes we had, the chances of achieving goals and continuing plans. "When a dream dies, the dreamer dies with it." (Tony Casanova). The no, even when it has to be said, has an impact on the listener because it represents a cut in the odds.
 Obviously not all of it is not bad, although it is a bitter remedy, it brings us the opportunities, in many situations, of the chances of cure of some bad habits and habits and needs to be heard, so that we have the dimension of how some wrong customs Need to be fixed. In fact, life can not only be composed of the so dreamed yes, but also balanced with the not in the opposition of the scale. Only the balance of these two elements can bring comfort to continue the struggles.
   To hear or perceive one does not teach us that we must always fight and never give up, even if some doors close, even if we do not see the tiny light at the end of the tunnel, even if the barriers seem enormous and insurmountable, we must learn that we often need to listen One not to wake up and show that regardless of what we hear, our struggle continues. One does not just mean that there is a wonderful yes waiting for us and if we still do not hear it, it is because we lack the faith that it is waiting for us.
  Writer Text and Author Tony Casanova. All Rights Reserved to Authorized by the Brazilian and International Laws for the Protection of Intellectual Property Rights.
  Tony Casanova is an author of works: Panorama of the Arts, Love according to the Bible, On the Coast of Relationships - Learning from Mistakes, Unstable Relationships - How to Avoid Disappointments and Love French. You may purchase one or more of the author's works by accessing THIS LINK
 Attention! This text has been automatically translated by third parties from the Portuguese language of Brazil. Translation errors that are the responsibility of the translator may be observed.
.................................................. .................................................. .................................................. .....

   Arte reflexión | Aprender a oírlo

   En el vocabulario de todos nosotros hay una palabra que a pesar del tamaño, dependiendo de las circunstancias, puede causar un gran daño a la vida de otros. Esto es lo que se conoce y se utiliza "No". Una palabra que existe incluso cuando no se pronuncia, pero que nos fatiga en cualquier situación. Sé el signo negativo, agitando los dedos o movió la cabeza, no está no está listo. 'Re Terminado!
   El hecho es que no estamos preparados para esta palabra, a pesar de que la vida nos enseña lo que debemos ser. De hecho, no hemos escuchado en varios estilos, como en el caso de despido, lo cual obviamente no significa oportunidades as, los planes y los objetivos serán construidas a partir de ese trabajo. Hemos oído cuando no niega en una entrevista para una vacante disponible. Hemos oído cuando no estamos exentos de cualquier actividad con la excusa habitual que tenga que borrar la imagen.
   Pero no sólo en la vida profesional que no oímos. En la vida emocional, afectiva y conyugal e incluso en la vida familiar no nos perseguirá. Hemos escuchado a no ser traicionado, al darse cuenta de que una en relación da la espalda cuando vemos a nuestros hijos en la mirada a un lado y nosotros ignoramos cuando sentimos que nuestra pareja desprecio típico de cada relación que está a punto de colapsar. La duda no se puede hablar, tiene que ser escuchada para ser entendido.
   El no es como una puerta de cierre en la cara. Es como una bofetada en la cara desferida. Lo que nos hace daño a darse cuenta de uno no es la fuerza del golpe, pero de dónde viene. Me duele porque termina con las esperanzas que teníamos, con las posibilidades de lograr metas y planes continúan. "Cuando un sueño muere, muere con él el soñador". (Tony Casanova). El fracaso, aunque hay que decir, que los impactos se oye, ya que representa una reducción de las posibilidades.
 Obviamente no todos no es malo, aunque es una medicina amarga, nos trae oportunidades, en muchas situaciones, las posibilidades de curación de algunos vicios y malos hábitos y necesita ser oído, sentido de tener la escala como algunas costumbres erróneas tienen que ser fijo. En la vida de hecho no puede ser compuesto solamente por soñado sí, pero también equilibrada con la oposición no en escala. Sólo el equilibrio de estos dos elementos puede llevar consuelo a continuar la lucha.
   Oír o ver uno no nos enseña que siempre tenemos que luchar y nunca darse por vencido, aunque algunas puertas se cierran, aunque no anticipamos un poco de luz al final del túnel, aunque las barreras parecen enormes e insuperables, tenemos que aprender que a menudo necesitamos escuchar uno no despertar y espectáculo independiente de lo que oímos, nuestra lucha continúa. Uno no sólo significa que hay una maravillosa pero esperando y si por casualidad aún no ha oído que es porque nos falta la fe que está esperando por nosotros.
  Escritor de texto y el autor, Tony Casanova. Todos los derechos están reservados al Autor garantizada por la legislación brasileña y la Protección Internacional de los Derechos de Propiedad Intelectual.
  Tony Casanova es autor de obras: Panorama del arte, el amor, según la Biblia, Las Relaciones costeras - Aprender de los errores, relaciones inestables - Cómo evitar decepciones y Habla francés del amor. Usted puede comprar una o más obras del autor, visita ESTE ENLACE
 ¡Atención! Este texto fue traducido automáticamente por terceros desde el portugués de Brasil. errores de traducción pueden ser vistos como la responsabilidad del traductor.


Seguidores do Google

Matéria de Hoje

You Tube | Canal Fala, Sério! | Por Elaine Sério.

  Esta jovem carioca de sobrenome curioso não traz em sua imensa bagagem de atributos apenas a beleza física e a simpatia, mas a empreen...

Outras Páginas do Autor

Quem sou eu

Minha foto

Tony Casanova, brasileiro, natural de Salvador-BA, escreve desde 1976 e é fundador e administrador do Projeto Roda Cultural, instituição virtual de apoio ás Artes e Artistas em geral. Autor dos E-books "Panorama da Artes", "No Litoral das Relações" , "Relações Instáveis", "O Amor Fala Francês", "O amor segundo a Bíblia", este último inspirado em uma matéria sua publicada no blog Mesa Farta e que teve mais de 10.000 leitores. O escritor Tony Casanova escreve em vários estilos, tendo herdado suas técnicas a partir de leituras feitas a partir de grandes vultos da literatura brasileira, entre os quais estão Castro Alves, Rui Barbosa, Cora Coralina, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e outros. Gosta do estilo lírico e tem forte inclinação a esta técnica. O autor tem várias publicações em suas páginas da internet. Entre os gêneros literários que escreve estão a Crônica, Poesia, Poema, Ficção e Romance.