Breaking

Fel da solidão.

Que não seja eu/Meu Deus/
Como tantos/Que a velhice consome/
Seres largados/Aos cantos/Sem vida/
Solitários/Sem nome/
Deus, não me permita/
Sentir o fel da solidão/
Nem me deixe sentir na alma/
O frio/
Não quero ter um coração/
Sem pulsar/Peito vazio/
Que haja cor em minh'alma/
E meus dias sejam felizes/
Minha vida, que seja calma/
Perto das minhas raízes/
Que haja paz, meu Senhor/
E que a velhice/
Não me seja uma dor/
E que eu possa ser mais, bem mais/
Do que agora sou.

Por: Tony Casanova.

Seguidores do Google

Matéria de Hoje

Relacionamentos | As Relações e as Redes Sociais.

   A relação poder ser um namoro, um noivado ou mesmo o casamento, mas a base que constitui qualquer relacionamento é a mesma. Relações ...

Outras Páginas do Autor

Quem sou eu

Minha foto

Tony Casanova, brasileiro, natural de Salvador-BA, escreve desde 1976 e é fundador e administrador do Projeto Roda Cultural, instituição virtual de apoio ás Artes e Artistas em geral. Autor dos E-books "Panorama da Artes", "No Litoral das Relações" , "Relações Instáveis", "O Amor Fala Francês", "O amor segundo a Bíblia", este último inspirado em uma matéria sua publicada no blog Mesa Farta e que teve mais de 10.000 leitores. O escritor Tony Casanova escreve em vários estilos, tendo herdado suas técnicas a partir de leituras feitas a partir de grandes vultos da literatura brasileira, entre os quais estão Castro Alves, Rui Barbosa, Cora Coralina, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e outros. Gosta do estilo lírico e tem forte inclinação a esta técnica. O autor tem várias publicações em suas páginas da internet. Entre os gêneros literários que escreve estão a Crônica, Poesia, Poema, Ficção e Romance.