Breaking

Cultura | Sobre o Sobrenatural

Caveira-no-carro
  Sob a forte influência do Cinema, muitas vezes somos levados a acreditar no sobrenatural de uma forma concreta, isto porque na linguagem artística é parte obrigatória atribuir uma imagem ao texto escrito. Esta fórmula do Cinema e da Televisão recria de maneira visível os personagens que circulam no imaginário do espectador. Assim seres descritos como sobrenaturais ganham forma diante dos nossos olhos.  Para que você entenda melhor, vamos nos basear no filme "The Walking Dead" onde os personagens são perseguidos por zumbis. Ora, nós  sabemos que zumbis não existem, pelo menos não que eu tenha visto algum, graças a Deus, mas o cinema precisava criar uma imagem para eles, pois o tema central seria este. Como transmitir horror aos espectadores através de uma imagem? Então eles pensaram que teria que ser algo horripilante, inacreditável, grotesco. Algo que as pessoas pudessem temer de fato.
  Assim foi feito com os milagres da maquiagem e dos efeitos especiais.  Logicamente que o cinema se diverte com o imaginário popular e dá vida a personagens que são incrivelmente sobrenaturais na telas, mas que obviamente não passam de ficção.  Na realidade o sobrenatural é totalmente diferente. O contexto de sobrenaturalidade vem daquilo que se sobrepõe ao natural, sendo assim inexplicável. O sobrenatural está ligado diretamente a fé das pessoas e não tem relação alguma com os sentidos naturais humanos. 
  Sobrenatural é tudo cuja explicação não pode ser dada, cuja  imagem não pode ser captada, mas que possui ações que denunciam a sua presença. Não estou aqui falando de zumbis, de bruxas ou vampiros. Nós não devemos confundir o Sobrenatural com o Fictício.  O fictício é irreal, inventado, criado para alimentar imaginários, mas que de fato não existe. Vamos nos aprofundar mais neste assunto e perceber como o Cinema e a Televisão recriam conceitos e brincam com nosso imaginário: A morte é algo natural e sabem por que? Porque a morte representa o fim da jornada da vida. Algo que já é esperado com absoluta certeza por todos nós. Estamos predestinados a ela, mas o Cinema e a Televisão nos fazem crer que a morte é algo sobrenatural quando cria uma imagem horripilante para ela. Simbolizada comumente como alguém de vestes pretas, capuz e uma foice na mão, este simbolismo tornou-se popular.
  Mas vamos a exemplos mais, digamos, concretos deste assunto.  Imaginemos que alguém está hospitalizado, na UTI e os médicos conseguiram resgatar esta pessoa á vida depois de anos em coma profundo. Sabemos que diante deste quadro muitos dirão que foi um milagre, algo sobrenatural, mas na verdade não foi. Os aparelhos mantiveram a pessoa viva e a ação dos médicos tornou possível que ela reagisse. Além disso não houve morte, mas um coma profundo, mesmo que muitos ou todos os médicos tenham declarado a morte para aquela pessoa. Devemos entender que tudo que é possível ao homem intervir é perfeitamente natural. 
  Agora vamos considerar que esta mesma pessoa foi declarada oficialmente morta, não há nenhum sinal vital, todos os órgãos pararam e então é providenciada a velação e o sepultamento. O corpo está ali pálido, gélido e endurecido com a rigidez cadavérica, mas sem nenhuma intervenção médica, diante dos presentes, algo acontece e aquela pessoa começa a respirar, órgãos voltam a funcionar e o corpo ganha cor novamente. Voltam os movimentos e não há nenhuma sequela. A pessoa levanta-se e anda normalmente querendo saber o que está acontecendo. Isto meus caros leitores, é realmente sobrenatural.
  Vamos então a um terceiro exemplo com a mesma pessoa, que foi declarada de fato morta, feito a velação e o sepultamento. Após vários dias, eis que a pessoa revira-se na tumba. Suas mãos crispadas removem a terra sobre o caixão, seu corpo decomposto está se despedaçando e lentamente ela consegue libertar-se do caixão e  sai da cova. Começa a caminhar com lentidão enquanto vai deixando pedaços do seu corpo pelo caminho. Isto sim, é o Fictício. Algo que jamais devemos confundir com o Natural ou mesmo o Sobrenatural. O Natural é a realidade possível, o que pode ser feito e conseguido pelo homem. O Fictício é irreal, uma criação para alimentar imaginários e o Sobrenatural é o que se sobrepõe á realidade e que sobremaneira é inexplicável.

Texto do Escritor e Autor Tony Casanova. Todos os Direitos Reservados e garantidos pelas Leis Nacionais e Internacionais de Proteção aos Direitos de Propriedade Intelectual. Proibida a cópia, colagem, reprodução ou divulgação de qualquer natureza, do todo ou parte dele, independente dos meios ou fins. A violação destes Direitos constitui-se crime e está passiva das punições legais cabíveis. 
Saiba mais do autor NESTE LINK
.................................................................................................................................
     
Culture | About Supernatural.
  
   Under the strong influence of Cinema, we are often led to believe in the supernatural in a concrete way, because in the artistic language it is obligatory to attribute an image to the written text. This formula of Cinema and Television recreates in a visible way the characters that circulate in the spectator's imagination. Thus beings described as supernatural gain form before our eyes. For you to understand better, let's base ourselves on the movie "The Walking Dead" where the characters are chased by zombies. Now, we know that zombies do not exist, at least not that I have seen any, thank God, but the cinema needed to create an image for them, because the central theme would be this. How to convey horror to viewers through an image? So they thought it would have to be something horrifying, unbelievable, grotesque. Something that people could really fear.
  So it was done with the miracles of makeup and special effects. Of course, cinema has fun with the popular imagination and gives life to characters that are incredibly supernatural on the screen, but which obviously are nothing more than fiction. In reality the supernatural is totally different. The context of supernaturality comes from what is superimposed on the natural, and thus inexplicable. The supernatural is directly linked to people's faith and has no relation to the natural human senses.
  Supernatural is all whose explanation can not be given, whose image can not be grasped, but which has actions that denounce its presence. I'm not talking about zombies, witches or vampires. We should not confuse the Supernatural with the Fictitious. The fictitious is unreal, invented, created to feed imaginary, but that in fact does not exist. Let's go deeper into this subject and realize how Cinema and Television recreate concepts and play with our imaginary: Death is natural and do you know why? Because death represents the end of life's journey. Something that is already expected with absolute certainty by all of us. We are predestined to it, but Cinema and Television make us believe that death is something supernatural when it creates a horrifying image for it. Symbolized commonly as someone in black robes, a hood and a sickle in hand, this symbolism became popular.
  But let's look at more, say, concrete examples of this subject. Imagine that someone is hospitalized in the ICU and doctors have been able to rescue this person from life after years of deep coma. We know that before this picture many will say that it was a miracle, something supernatural, but in fact it was not. The appliances kept the person alive and the action of the doctors made it possible for her to react. In addition there was no death, but a deep coma, even though many or all of the doctors had declared death for that person. We must understand that all that is possible for man to intervene is perfectly natural.
  Now let's consider that this same person has been declared officially dead, there is no vital sign, all the organs have stopped and then veil and burial are provided. The body is pale there, frozen and hardened with cadaverous rigidity, but without any medical intervention, in the presence of those present, something happens and that person begins to breathe, organs come back to work and the body regains color again. The movements come back and there is no sequel. The person gets up and walks normally wanting to know what is happening. This, dear readers, is really supernatural.
  Let us then go on to a third example with the same person, who was declared dead indeed, made the wake and burial. After several days, behold the person turns in the tomb. Her clenched hands remove the earth over the coffin, her decomposed body is shattering, and slowly she is able to free herself from the coffin and out of the pit. He begins to walk slowly as he leaves pieces of his body on the way. This is the Fictitious. Something we should never confuse with the Natural or even the Supernatural. The Natural is the possible reality, what can be done and achieved by man. The Fictitious is unreal, a creation to feed imaginary and Supernatural is what overcomes reality and is especially inexplicable.

Writer Text and Author Tony Casanova. All Rights Reserved and guaranteed by the National and International Laws for the Protection of Intellectual Property Rights. No part of it may be copied, collated, reproduced or disseminated, regardless of its means or purpose. The violation of these Rights constitutes a crime and is passive of the applicable legal punishments.
Learn more about the author IN THIS LINK
.................................................. .................................................. .............................

      Cultura | Acerca del Supernatural.
      
   Bajo la fuerte influencia del cine, a menudo nos lleva a creer en lo sobrenatural de una manera concreta, porque en este lenguaje artístico es parte obligatoria asignar una imagen al texto escrito. Esta fórmula de Cine y Televisión recrea los personajes visiblemente que circula en la imaginación del espectador. De este modo se describe como seres sobrenaturales toman forma ante nuestros ojos. Para que pueda entender mejor, vamos basado en la película "The Walking Dead", donde los personajes son perseguidos por zombies. Ahora sabemos que no existen zombis, al menos no que yo he visto algunos, gracias a Dios, pero la película necesitábamos para crear una imagen de ellos, como el tema central sería esto. ¿Cómo transmitir a los espectadores de terror a través de una imagen? Por lo que pensaron que tendrían que ser algo horrible, increíble, grotesca. Algo que la gente podría temer por cierto.
  Esto se hizo con los milagros del maquillaje y efectos especiales. Por supuesto, la película se divierte con la imaginación popular y da vida a personajes que son increíblemente sobrenatural en la pantalla, pero, obviamente, nada más que ficción. De hecho lo sobrenatural es totalmente diferente. El contexto de la rareza proviene de lo que se superpone a la natural, por lo inexplicable. Lo sobrenatural está directamente ligada a la fe de la gente y no tiene nada que ver con los sentidos humanos naturales.
  Sobrenatural es toda la explicación de que no se puede dar, cuya imagen no puede ser capturado, pero cuyas acciones que denuncian su presencia. No estoy aquí hablando de zombis, brujas o vampiros. No debemos confundir lo sobrenatural con el maniquí. El maniquí es irreal, inventado, creado para alimentar imaginaria, pero en realidad no existe. Vamos a profundizar en este tema más y entender cómo el Cine y Televisión recrean conceptos y jugar con nuestra imaginación: La muerte es natural y sabes por qué? Porque la muerte es el final del camino de la vida. Algo que es de esperar con certeza absoluta para todos nosotros. Estamos predestinados a él, pero el cine y la televisión nos hace creer que la muerte es algo sobrenatural cuando se crea una imagen horrible para ella. Comúnmente simbolizada como una de las túnicas negras, campana y una hoz en la mano, este simbolismo se hizo popular.
  Pero dejar que los más ejemplos, por ejemplo, el hormigón este problema. Imagine que alguien está hospitalizado en la UCI y los médicos fueron capaces de rescatar a esta persona a la vida después de años en un coma profundo. Sabemos que antes de que dirá esta situación muchos fue un milagro, algo sobrenatural, pero en realidad no lo era. Los dispositivos mantienen la persona que vive y la acción de los médicos hicieron posible que ella reaccionara. Además no era la muerte, pero un coma profundo, incluso si muchos o todos los médicos han declarado la muerte de esa persona. Debemos entender que todo lo que es posible que el hombre intervenga es perfectamente natural.
  Ahora vamos a considerar que esta misma persona fue declarado oficialmente muerto, no hay signos vitales, todos los órganos se detuvieron y luego se proporciona a velar y entierro. El cuerpo está allí pálido, frío y rígido con el rigor mortis, pero sin ninguna intervención médica antes del presente, algo sucede y la persona comienza a respirar, órganos vuelvan a trabajar y el cuerpo gana el color nuevo. Movimientos de retorno y no hay ninguna secuela. La persona se levanta y camina normalmente preguntándose lo que está pasando. Esto mis queridos lectores, es realmente sobrenatural.
  Vamos a continuación a un tercer ejemplo con la misma persona, que fue declarado muerto, de hecho, hizo el velo y el entierro. Después de varios días, he aquí, la persona rueda en la tumba. Sus manos se apretaron remover la tierra sobre el ataúd, su cuerpo descompuesto está cayendo a pedazos y poco a poco se puede romper con el ataúd y sale de la fosa. Empieza a caminar lentamente mientras va dejando pedazos de su cuerpo en la forma. Ahora que es el maniquí. Algo que nunca debe ser confundido con el natural o incluso lo sobrenatural. El natural es la realidad posible, lo que puede ser hecho y lo logrado por el hombre. El maniquí es irreal, una creación para alimentar imaginario y lo sobrenatural es lo que anula a la realidad y que no se explica en gran medida.

Escritor de texto y autor Tony Casanova. Todos los derechos reservados y garantizados por leyes nacionales y Protección Internacional de los Derechos de Propiedad Intelectual. La copia, el collage, la reproducción o divulgación de cualquier tipo, de todos o parte de ella, independientemente de los medios o extremos. La violación de estos derechos constituye un delito y es pasivo las sanciones legales aplicables.
Más información este autor ENLACE

Seguidores do Google

Matéria de Hoje

Crônica | Como Assim Brasil?

  Viver no Brasil é fácil,  o País é lindo, povo alegre apesar dos motivos para tristeza, muitas praias, sol, enfim é o lugar, mas difí...

Outras Páginas do Autor

Quem sou eu

Minha foto

Tony Casanova, brasileiro, natural de Salvador-BA, escreve desde 1976 e é fundador e administrador do Projeto Roda Cultural, instituição virtual de apoio ás Artes e Artistas em geral. Autor dos E-books "Panorama da Artes", "No Litoral das Relações" , "Relações Instáveis", "O Amor Fala Francês", "O amor segundo a Bíblia", este último inspirado em uma matéria sua publicada no blog Mesa Farta e que teve mais de 10.000 leitores. O escritor Tony Casanova escreve em vários estilos, tendo herdado suas técnicas a partir de leituras feitas a partir de grandes vultos da literatura brasileira, entre os quais estão Castro Alves, Rui Barbosa, Cora Coralina, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e outros. Gosta do estilo lírico e tem forte inclinação a esta técnica. O autor tem várias publicações em suas páginas da internet. Entre os gêneros literários que escreve estão a Crônica, Poesia, Poema, Ficção e Romance.