Vida | Acaso ou Destino? | Caminhos da Existência.

  Como você imagina  que as coisas aconteçam nas nossas vidas? Por acaso, pelo destino ou mera coincidência?  Hoje vou falar um pouquinho sobre este assunto e dar aqui a minha opinião e se você tiver alguma dúvida sobre isso, mande seu comentário e vamos juntos analisar esta questão. Muitos acreditam em destino, que tudo já está traçado e as coisas acontecerão quer queiramos ou não, com ou sem a nossa interferência, outros acham que tudo acontece casualmente, ou seja por acaso e você, em que acredita? Acha mesmo que tudo acontece ao acaso, por destino ou coincidência? Continue a ler esta matéria e vamos analisar juntos, quem sabe esclarecemos algumas dúvidas.
  Em seu livro "Nada ao Acaso" Richard Bach, escritor norte americano nascido em Oak Park, Illinois, nos Estados Unidos, escreveu: "Nada acontece por mero acaso. Não existe sorte. Existe um significado por detrás de cada facto. Talvez não o consigamos ver de imediato com clareza, mas não será preciso muito tempo para que isso aconteça".  Será mesmo desta forma?  Ao fazer esta citação Richard nos coloca á mercê das consequências das nossas ações e nos faz acreditar em uma invisível conspiração para os fatos determiantes da nossa existência. Desta forma estariam anuladas as apostas de que as coisas aconteçam do nada de forma totalmente inusitada e de maneira coincidente.  Podemos aceitar esta visão como certa?

  Há aqueles que acreditam que os destinos já estejam traçados e escritos em algum lugar e alguns afirmam possuir a capacidade de ler estas tais escritas e predizer o que irá acontecer.  Um poder e tanto, considerando que tais pessoas relatam a possibilidade de preverem ver o futuro, semelhante ao médico, astrólogo e autor Michel de Nostredame ou Miguel de Nostredama, mais conhecido popularmente como Nostradamus, um francês, nascido por volta do ano 1.503 em Saint Rémy de Provence, na França e que alguns acreditavam ser vidente e muitos até mesmo profeta. Alquimista do século XVI,  Nostradamus escreveu alguns livros com as suas "profecias", muitas que são questionadas até os dias de hoje.

 Podemos mesmo acreditar em profecias? Ou imaginar que os destinos se cruzam por razões desconhecidas? As coisas ocorrem por acaso? Quem tem as respostas a estas perguntas? Seria absurdamente pretensioso da minha parte afirmar que possuo uma conclusão á todas estas questões. Mas eu posso sim afirmar que  há uma razão para tudo, mas se você me perguntar que razão é esta eu não saberia responder. Particularmente eu não acredito no acaso. Prefiro crer nas ações consequentes, no retorno de ações cometidas. É como quando lançamos uma pedra para o alto e termos a certeza de que ela irá cair.  A composição da vida se resume aos tempos passados, presente e futuro, onde o futuro é incerto, coberto da névoa da esperança, mas impossível de ser predito. Pelo menos na minha opinião e você o que pensa sobre o assunto?

  Minhas considerações finais para esta matéria é de que acreditarmos no destino é pensar que alguém conspira a nosso favor ou contra nós de maneira que seria o mesmo que crer que não precisamos fazer nada, pois o destino já está traçado. Seria como cruzar os braços e esperar que tudo seja feito. Mas e a nossa liberdade de arbítrio, para que serve afinal se o destino já tem tudo sob controle? Somos mesmo marionetes do destino onde não importa o que façamos, que decisão tomemos, é o destino quem determina o que acontece em nossas vidas?  Na mesma situação surge o acaso. Ora, nós não temos que fazer escolhas? Decidir sobre aquilo que queremos ou não? Porque então o acaso iria interferir nas nossas decisões? Pense nisso. De antemão eu afirmo, sem medo algum de errar que o único destino para o qual temos certeza plena e absoluta é a morte.  (Tony Casanova).

Fonte de pesquisa dos autores citados: Site Wikipédia

Esta obra, bem como todos os textos contidos nesta web página encontram-se protegidos pelas Leis Nacionais e Internacionais de Direitos de Propriedade Intelectual, sendo proibidas as cópias, colagens, reprodução, divulgação ou uso dos conteúdos apresentados neste blog, independente dos meios ou finalidades, sem a autorização expressa do autor Tony Casanova, a quem cabe, única e exclusivamente os Direitos sobre o material apresentado. A violação destes Direitos se constitui crime previsto na Legislação e será punida com os rigores legais.

Para saber mais sobre Tony Casanova e aquisição de suas publicações, acesse ESTE LINK
................................................................................................................................

   Life | Or Destiny? | Paths of Existence.

  How do you imagine things happening in our lives? By chance, by fate or mere coincidence? Today I will speak a little about this subject and give my opinion here and if you have any questions about this, send your comment and let us analyze this question together. Many believe in destiny, that everything is already drawn and things will happen whether we like it or not, with or without our interference, others think that everything happens casually, that is by chance and you, in what do you believe? Do you really think that everything happens by chance, by fate or coincidence? Continue reading this article and we will analyze together, maybe clarify some doubts.

  Richard Bach, a North American writer born in Oak Park, Illinois, USA, wrote: "Nothing happens by chance. There is no luck. There is a meaning behind every fact. we can see right away clearly, but it will not take long for this to happen. " Is it really this way? In making this quotation Richard puts us at the mercy of the consequences of our actions and makes us believe in an invisible conspiracy for the determinant facts of our existence. In this way the bets that things happen out of nowhere in a totally unprecedented and coincident way would be nullified. Can we accept this view as right?

  There are those who believe that the destinations are already drawn and written somewhere and some claim to have the ability to read these writings and predict what will happen. Such a power, considering that such people report the possibility of seeing the future, similar to the doctor, astrologer and author Michel de Nostredame or Miguel de Nostredama, better known popularly as Nostradamus, a Frenchman, born around the year 1,503 in Saint Rémy de Provence in France and which some believed to be seer and many even prophet. Sixteenth-century alchemist, Nostradamus wrote some books with his "prophecies," many of which are questioned to this day.

 Can we even believe in prophecies? Or imagine that fates intersect for unknown reasons? Do things happen by chance? Who has the answers to these questions? It would be absurdly pretentious of me to say that I have a conclusion to all these questions. But I can say that there is a reason for everything, but if you ask me what the reason is, I would not know how to respond. I do not particularly believe in chance. I prefer to believe in the consequent actions, in the return of committed actions. It's like when we throw a stone up and we're sure it will fall. The composition of life comes down to past, present and future times, where the future is uncertain, covered in the fog of hope, but impossible to predict. At least in my opinion and you what do you think about it?

  My final considerations for this matter is that to believe in fate is to think that someone conspires on our behalf or against us in a way that would be the same as believing that we do not have to do anything, since fate is already drawn. It would be like crossing your arms and waiting for everything to be done. But what about our freedom of will, what good is it if fate has everything under control? We are even puppets of fate where no matter what we do, what decision we make, is fate who determines what happens in our lives? In the same situation happens chance. Now, do not we have to make choices? Decide on what we want or not? Why would chance interfere with our decisions? Think about it. Beforehand I affirm, without fear of error, that the only destiny for which we have full and absolute certainty is death. (Tony Casanova).

Source of research of the mentioned authors: Site Wikipedia

This work, as well as all the texts contained in this web page, are protected by the National and International Laws of Intellectual Property Rights, being prohibited copies, collages, reproduction, dissemination or use of the contents presented in this blog, regardless of the means or purposes , without the express authorization of the author Tony Casanova, who is solely and exclusively entitled to the material presented. The violation of these Rights constitutes a crime provided for in the Legislation and will be punished with the legal rigors.

To know more about Tony Casanova and the acquisition of his publications, visit THIS LINK
................................................................................................................................

    Vida | ¿Acaso o Destino? | Caminos de la Existencia.

  ¿Cómo te imaginas que las cosas suceden en nuestras vidas? Por casualidad, por el destino o mera coincidencia? Hoy voy a hablar un poquito sobre este tema y dar aquí mi opinión y si usted tiene alguna duda sobre eso, mande su comentario y vamos juntos a analizar esta cuestión. Muchos creen en destino, que todo ya está trazado y las cosas sucederán queramos o no, con o sin nuestra interferencia, otros creen que todo sucede casualmente, o sea por casualidad y usted, en qué cree? ¿Crees que todo sucede al azar, por destino o coincidencia? En el caso de que se trate de una persona,

  En su libro "Nada al azar" Richard Bach, escritor norteamericano nacido en Oak Park, Illinois, en Estados Unidos, escribió: "Nada sucede por mera casualidad, no hay suerte, hay un significado detrás de cada hecho. consigamos ver de inmediato con claridad, pero no será necesario mucho tiempo para que eso suceda ". ¿Será de esta manera? Al hacer esta cita Richard nos coloca a merced de las consecuencias de nuestras acciones y nos hace creer en una invisible conspiración para los hechos determinantes de nuestra existencia. De esta forma estarían anuladas las apuestas de que las cosas suceden de la nada de forma totalmente inusitada y de manera coincidente. ¿Podemos aceptar esta visión como correcta?

  Hay quienes creen que los destinos ya están trazados y escritos en algún lugar y algunos afirman poseer la capacidad de leer estas escrituras y predecir lo que va a suceder. Un poder y tanto, considerando que tales personas relatan la posibilidad de prever ver el futuro, semejante al médico, astrólogo y autor Michel de Nostredame o Miguel de Nostredama, más conocido popularmente como Nostradamus, un francés, nacido alrededor del año 1.503 en Saint Rémy de Provence, en Francia y que algunos creían ser videntes y muchos incluso profeta. Alquimista del siglo XVI, Nostradamus escribió algunos libros con sus "profecías", muchas que son cuestionadas hasta los días de hoy.

 ¿Podemos incluso creer en profecías? ¿O imaginar que los destinos se cruzan por razones desconocidas? ¿Las cosas ocurren por casualidad? ¿Quién tiene las respuestas a estas preguntas? Sería absurdamente pretensioso de mi parte afirmar que tengo una conclusión a todas estas cuestiones. Pero sí puedo afirmar que hay una razón para todo, pero si usted me pregunta qué razón es ésta no sabría responder. Prácticamente no creo en el azar. Prefiero creer en las acciones consecuentes, en el retorno de acciones cometidas. Es como cuando lanzamos una piedra hacia arriba y tengamos la certeza de que caerá. La composición de la vida se resume a los tiempos pasados, presente y futuro, donde el futuro es incierto, cubierto de la niebla de la esperanza, pero imposible de ser predicho. Por lo menos en mi opinión y usted lo que piensa sobre el tema?

  Mis consideraciones finales para esta materia es que creer en el destino es pensar que alguien conspira a nuestro favor o contra nosotros de manera que sería lo mismo que creer que no necesitamos hacer nada, pues el destino ya está trazado. Sería como cruzar los brazos y esperar que todo sea hecho. Pero ¿y nuestra libertad de albedrío, para qué sirve al fin si el destino ya lo tiene todo bajo control? Somos incluso marionetas del destino donde no importa lo que hagamos, qué decisión tomamos, es el destino quien determina lo que sucede en nuestras vidas? En la misma situación surge el azar. Ahora bien, ¿no tenemos que hacer elecciones? ¿Decidir sobre lo que queremos o no? ¿Por qué entonces el azar interferir en nuestras decisiones? Piense en eso. De antemano yo afirmo, sin miedo alguno de errar que el único destino para el cual tenemos certeza plena y absoluta es la muerte. (Tony Casanova).

Fuente de investigación de los autores citados: Sitio Wikipedia

Esta obra, así como todos los textos contenidos en esta página web, se encuentran protegidos por las Leyes Nacionales e Internacionales de Derechos de Propiedad Intelectual, siendo prohibidas las copias, collages, reproducción, divulgación o uso de los contenidos presentados en este blog, independiente de los medios o finalidades sin la autorización expresa del autor Tony Casanova, a quien corresponde, única y exclusivamente los Derechos sobre el material presentado. La violación de estos Derechos se constituye crimen previsto en la Legislación y será sancionada con los rigores legales.

Para saber más sobre Tony Casanova y la adquisición de sus publicaciones, visite ESTE LINK 

Quem sou eu

Minha foto

Tony Casanova, brasileiro, natural de Salvador-BA, escreve desde 1976 e é fundador e administrador do Projeto Roda Cultural, instituição virtual de apoio ás Artes e Artistas em geral. Autor dos E-books "Panorama da Artes", "No Litoral das Relações" , "Relações Instáveis", "O Amor Fala Francês", "O amor segundo a Bíblia", este último inspirado em uma matéria sua publicada no blog Mesa Farta e que teve mais de 10.000 leitores. O escritor Tony Casanova escreve em vários estilos, tendo herdado suas técnicas a partir de leituras feitas a partir de grandes vultos da literatura brasileira, entre os quais estão Castro Alves, Rui Barbosa, Cora Coralina, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e outros. Gosta do estilo lírico e tem forte inclinação a esta técnica. O autor tem várias publicações em suas páginas da internet. Entre os gêneros literários que escreve estão a Crônica, Poesia, Poema, Ficção e Romance.

Estamos no Twitter

publicidade