Comportamento | O Íntimo e o Público.

  Nossa existência se resume em ações que desenvolvemos ao longo da vida e estas ações são regidas por dois foros diferentes; o campo das ações íntimas e o das ações públicas.  As coisas que estão em campo íntimo são de caráter privado e só são compartilhadas com aquelas pessoas de foro íntimo para nós, sendo portanto preservadas do público. Aquelas que são públicas são compartilhadas de forma aberta e sem seleção de público. Somos nós quem elegemos em que campo deve estar as nossas ações e a nossa matéria de hoje traz este tema na sua abordagem. Até que ponto o que é íntimo pode ou deve tornar-se público? Fique sabendo mais sobre isso. Continue Lendo... 
   Desde que houve a chegada da internet e a popularização das redes sociais, muitas ações que antes eram íntimas passaram a se tornar públicas e muitas pessoas, seguindo exemplos de outras, foram encorajadas a tirar suas vidas do caráter privado e colocá-la em ambiente público. É possível hoje que aqueles que são desconhecidos possuam informações com maior privilégio do que os que são mais íntimos. É como se abríssemos nas nossas vidas uma porta de acesso para aqueles com quem nunca tivemos uma convivência real e isto certamente representa um enorme perigo, principalmente quando envolve crianças. Com a banalização da amizade em ambiente virtual, passa-se a compartilhar com os amigos eleitos, situações do nosso convívio que nunca foram compartilhadas com amigos reais, muitas vezes de uma forma completamente irresponsável e perigosa, descuidada.


   Mas até que ponto algo que está em foro íntimo pode ou deve ser lavado a público? Esta é uma ação para a qual devemos ter cautela, pois somente nós mesmos sabemos o teor das informações nelas contidas e até que ponto podem nos comprometer e prejudicar caso sejam reveladas a outros. Há muito a ser considerado nestas situações, mesmo porque cada caso é diferente do outro. Ao elegermos alguém como amigo em ambiente virtual devemos ter ciência de que há o perigo que envolve a disseminação de fatos que não desejamos que se tornem públicos. Saber qual o grau de risco que nos envolve poderá nos manter em margem segura e evitar futuros vazamentos destas informações. Vale lembrar que semelhante á vida real, o ambiente virtual também possui suas ciladas e podemos dizer que em número bem maior do que em nosso cotidiano. 

   Logicamente que nem todos que usam a internet são pessoas de má f´é ou mau caráter. Existe gente de boa índole e bem intencionada, claro.  O universo humano na internet é vasto e podemos encontrar pessoas com intenções diferentes e que á princípio não estão assim identificadas. Muitas vezes há quem se finja ser do bem e esconda intenções levianas e maléficas ou mesmo quem possua boas intenções e seja confundido. Precisamos entender que somente ver quem está do outro lado não é suficiente para reconhecer as intenções, mas que pior que isso é interagir sob suspeitas e nem ao menos ter visto. Na vida não somos de todo íntimo ou de todo público. Há informações nossas que possuem um caráter exclusivamente pessoal e que não devem ser compartilhadas tão facilmente. É o caso da numeração de documentos, endereços, locais de frequência, nomes completos com sobrenomes, nome do cônjuge ou dos filhos e parentes bem como seus endereços, coisas assim. A internet cada vez mais nos compele a manter na intimidade o que é íntimo e publicar apenas o que é público.

A presente obra, bem como todos os textos contidos nesta web página encontram-se protegidos pelas Leis Nacionais e Internacionais de Direitos de Propriedade Intelectual, sendo proibidas as cópias, colagens, reprodução, divulgação ou uso dos conteúdos apresentados neste blog, independente dos meios ou finalidades, sem a autorização expressa do autor Tony Casanova, a quem cabe, única e exclusivamente os Direitos sobre o material apresentado. A violação destes Direitos se constitui crime previsto na Legislação e será punida com os rigores legais.

Para saber mais sobre Tony Casanova e aquisição de suas publicações, acesse ESTE LINK
...........................................................................................................................................

 Behavior | The Innermost and the Public.

 Our existence is summed up in actions that we develop throughout our lives and these actions are governed by two different forums; the field of intimate actions and that of public actions. The things that are in the intimate field are of private character and are only shared with those people of intimate forum for us, and are thus preserved of the public. Those that are public are shared openly and without public selection. It is we who elect in what field our actions should be and our matter of today brings this theme into its approach. To what extent what is intimate can or should become public? Find out more about this. Keep reading...

   Since the advent of the Internet and the popularization of social networks, many once intimate actions have become public, and many, following examples from others, have been encouraged to take their lives from the private and to place them in a public environment . It is possible today that those who are unknown possess information with greater privilege than those who are most intimate. It is as if we open a door in our lives for those with whom we have never had a real relationship and this certainly represents a great danger, especially when it involves children. With the banalization of friendship in a virtual environment, we begin to share with the elected friends situations of our conviviality that have never been shared with real friends, often in a completely irresponsible and dangerous, careless way.

   But to what extent something that is in the intimate forum can or should be washed to the public? This is an action for which we must exercise caution, for we alone know the content of the information contained therein and to what extent they may compromise and harm us if they are revealed to others. There is much to be considered in these situations, even though each case is different from the other. In electing someone as a friend in a virtual environment, we must be aware that there is a danger involved in spreading facts that we do not want to make public. Knowing the degree of risk that surrounds us can keep us safe and avoid future leaks of this information. It is worth remembering that similar to real life, the virtual environment also has its pitfalls and we can say that in much greater number than in our daily life.

   Of course, not everyone who uses the Internet is a person of bad faith or bad character. There are people of good nature and well-intentioned, of course. The human universe on the internet is vast and we can find people with different intentions and who at the beginning are not so identified. Often there are those who pretend to be good and hide light and evil intentions or even those who have good intentions and are confused. We need to understand that just seeing who is on the other side is not enough to recognize the intentions, but what is worse than that is to interact under suspicion and not even to have seen. In life we ​​are not at all intimate or of the whole public. There is information from us that has an exclusively personal character and should not be shared so easily. It is the case of the numbering of documents, addresses, frequency places, full names with surnames, name of the spouse or children and relatives as well as their addresses, things like that. The internet increasingly compels us to keep intimacy intimate and to publish only what is public.

The present work, as well as all the texts contained in this web page, are protected by the National and International Laws of Intellectual Property Rights, being prohibited copies, collages, reproduction, dissemination or use of the contents presented in this blog, regardless of media or without the express authorization of the author Tony Casanova, who is solely and exclusively responsible for the material presented. The violation of these Rights constitutes a crime provided for in the Legislation and will be punished with the legal rigors.

To know more about Tony Casanova and the acquisition of his publications, go to THIS LINK
...........................................................................................................................................

 Comportamiento | El Íntimo y el Público.

 Nuestra existencia se resume en acciones que desarrollamos a lo largo de la vida y estas acciones se rigen por dos foros diferentes; el campo de las acciones íntimas y el de las acciones públicas. Las cosas que están en campo íntimo son de carácter privado y sólo se comparte con aquellas personas de foro íntimo para nosotros, siendo por lo tanto preservadas del público. Aquellas que son públicas son compartidas de forma abierta y sin selección de público. Somos nosotros quienes elegimos en qué campo debe estar nuestras acciones y nuestra materia de hoy trae este tema en su enfoque. ¿Hasta qué punto lo que es íntimo puede o debe hacerse público? Sepa más sobre esto. Continúe leyendo ...

   Desde que hubo la llegada de Internet y la popularización de las redes sociales, muchas acciones que antes eran íntimas pasaron a hacerse públicas y muchas personas, siguiendo ejemplos de otras, fueron alentadas a sacar sus vidas del carácter privado y colocarla en ambiente público . Es posible hoy que aquellos que son desconocidos posean informaciones con mayor privilegio que los que son más íntimos. Es como si abriera en nuestras vidas una puerta de acceso para aquellos con quienes nunca tuvimos una convivencia real y esto ciertamente representa un enorme peligro, principalmente cuando involucra a niños. Con la banalización de la amistad en ambiente virtual, se pasa a compartir con los amigos elegidos, situaciones de nuestra convivencia que nunca fueron compartidas con amigos reales, muchas veces de una forma completamente irresponsable y peligrosa, descuidada.

   Pero hasta qué punto algo que está en el foro íntimo puede o debe ser lavado a público? Esta es una acción para la cual debemos tener cautela, pues sólo nosotros mismos sabemos el contenido de las informaciones contenidas en ellas y hasta qué punto nos pueden comprometer y perjudicar si se revelan a otros. Hay mucho que considerar en estas situaciones, incluso porque cada caso es diferente del otro. Al elegir a alguien como amigo en un ambiente virtual debemos tener conocimiento de que hay el peligro que implica la diseminación de hechos que no deseamos que se vuelvan públicos. Saber cuál es el grado de riesgo que nos rodea puede mantenerse en margen seguro y evitar futuras fugas de esta información. Vale recordar que semejante a la vida real, el ambiente virtual también posee sus asechanzas y podemos decir que en número mucho mayor que en nuestro cotidiano.

   Lógicamente que no todos los que usan Internet son personas de mala fe o mal carácter. Hay gente de buena índole y bien intencionada, claro. El universo humano en Internet es vasto y podemos encontrar personas con intenciones diferentes y que al principio no están identificadas. Muchas veces hay quien se meta a ser del bien y esconde intenciones livianas y maléficas o incluso quien tenga buenas intenciones y sea confundido. Necesitamos entender que solamente ver quién está del otro lado no es suficiente para reconocer las intenciones, pero que peor que eso es interactuar bajo sospechas y ni siquiera haber visto. En la vida no somos de todo íntimo o de todo público. Hay informaciones nuestras que tienen un carácter exclusivamente personal y que no deben ser compartidas tan fácilmente. Es el caso de la numeración de documentos, direcciones, lugares de frecuencia, nombres completos con apellidos, nombre del cónyuge o de los hijos y parientes así como sus direcciones, cosas así. La Internet cada vez más nos obliga a mantener en la intimidad lo que es íntimo y publicar sólo lo que es público.

La presente obra, así como todos los textos contenidos en esta página web, se encuentran protegidos por las Leyes Nacionales e Internacionales de Derechos de Propiedad Intelectual, siendo prohibidas las copias, collages, reproducción, divulgación o uso de los contenidos presentados en este blog, independiente de los medios o sin la autorización expresa del autor Tony Casanova, a quien corresponde, única y exclusivamente los Derechos sobre el material presentado. La violación de estos Derechos se constituye crimen previsto en la Legislación y será sancionada con los rigores legales.

Para saber más sobre Tony Casanova y la adquisición de sus publicaciones, visite ESTE LINK

Quem sou eu

Minha foto

Tony Casanova, brasileiro, natural de Salvador-BA, escreve desde 1976 e é fundador e administrador do Projeto Roda Cultural, instituição virtual de apoio ás Artes e Artistas em geral. Autor dos E-books "Panorama da Artes", "No Litoral das Relações" , "Relações Instáveis", "O Amor Fala Francês", "O amor segundo a Bíblia", este último inspirado em uma matéria sua publicada no blog Mesa Farta e que teve mais de 10.000 leitores. O escritor Tony Casanova escreve em vários estilos, tendo herdado suas técnicas a partir de leituras feitas a partir de grandes vultos da literatura brasileira, entre os quais estão Castro Alves, Rui Barbosa, Cora Coralina, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e outros. Gosta do estilo lírico e tem forte inclinação a esta técnica. O autor tem várias publicações em suas páginas da internet. Entre os gêneros literários que escreve estão a Crônica, Poesia, Poema, Ficção e Romance.

Estamos no Twitter

publicidade