Sentimentos | Equilibrando Razão e Emoção.

  A natureza humana é um universo repleto de emoções e sentimentos em uma mistura magnífica de momentos que constituem as nossas vidas.  Uma existência sem seus sentimentos e emoções é semelhante a uma sopa sem sal, sem temperos e consequentemente sem sabor. Há quem adore viver os extremos, sentir a adrenalina, ir ao céu e descer á terra em questão de minutos. Outros preferem beber emoções devagar, provando goles lentamente. Por ordem do padrão natural das coisas, o importante é manter o equilíbrio, fazendo valer a máxima: "Nem tanto o mel, nem tanto o sal".  Não podemos ser emocionais ou racionais ao extremo afim de preservarmos uma margem de segurança que nos impedirá de afundarmos no vazio de emoções ou nas correntezas delas.

  O ser humano teme a dor emocional mais que a física, por esta razão muitos tem evitado envolvimentos emocionais mais sérios, fato que vem ocasionando a banalização dos sentimentos e por consequência, mais dor para ele. Fugir dos compromissos não implica em  evitar a dor inevitável, apenas adiá-la e mais cedo ou mais tarde ela retorna e em muitos casos, ainda mais intensa que o esperado. Não se pode esquivar das emoções, independente da sua natureza. Não importa o quanto tentemos parecer fortes, duros e imparciais, nós somos naturalmente seres emocionais. Não há como negar isso, é fato!
  Quando criança lembro que mamãe quando emocionada saía de perto de mim e ia chorar escondida do meus olhos. Ás vezes eu percebia isso e como se entendesse, me aproximava em silêncio e com aquelas mãozinhas frágeis, eu acariciava seu rosto. Ela me abraçava e chorava baixinho como se não quisesse que eu a visse daquela forma. Quantas pessoas fazem o mesmo diante dos pais, dos filhos, do cônjuge afim de evitar uma demonstração de que estão fragilizados naquele momento? Talvez você mesmo tenha vivido esta situação. Ficamos tentando demonstrar ao mundo á nossa volta que não estamos sentindo nada, que está tudo bem, quando na verdade tudo está desabando. 
  Minha mãe, por eu ser ainda uma criança, tentava mostrar-se super forte e sua atitude era pra que eu não perdesse nela a segurança que sentia. Assim também nós quando agimos de forma semelhante com adultos. Não queremos destruir a segurança que as pessoas tem quando estão conosco. Certo ou errado, eu não escrevi esta matéria para julgar atitudes, mesmo porque eu sou tão ou mais emocional que qualquer outra pessoa e por isso não tenho méritos para julgar, mas o que tento fazer é dar ao leitor uma luz para o fato de que muitas vezes, por trás daquela pessoa agitada, imtempestiva, agressiva e ácida se esconde alguém gritando por socorro porque está com seu emocional abalado.
  Não devemos esquecer nunca de que sempre há uma razão para que a emoção aconteça, mas é preciso que haja equilíbrio para que não venhamos a experimentar a carga pesando só de um lado da balança. Vale a pena amar? Sim, vale, claro! Vale a pena envolver-se em uma relação nova? Sim vale. Mas antes de tudo devemos lembrar que vale a pena muito mais conservar-se em equiílbrio, ter bom senso, sensatez. Quanto a novos relacionamentos, se acha que ainda não está pronto(a), aguarde. É prudente esperar até que você esteja preparado(a). A melhor maneira de sabermos se estamos preparados para amar é descobrindo se estamos prontos para sermos amados. Uma coisa tem a ver com a outra, independente da ordem, portanto não deixe passar o tempo inteiro da sua vida remoendo mágoas. Permita-se viver e ser feliz, pois ondas que vão, não voltam com as mesmas águas.

A presente obra, bem como todos os textos contidos nesta web página encontram-se protegidos pelas Leis Nacionais e Internacionais de Direitos de Propriedade Intelectual, sendo proibidas as cópias, colagens, reprodução, divulgação ou uso dos conteúdos apresentados neste blog, independente dos meios ou finalidades, sem a autorização expressa do autor Tony Casanova, a quem cabe, única e exclusivamente os Direitos sobre o material apresentado. A violação destes Direitos se constitui crime previsto na Legislação e será punida com os rigores legais.

Para saber mais sobre Tony Casanova e aquisição de suas publicações, acesse ESTE LINK
...................................................................................................................................

Feelings | Balancing Reason and Emotion.

Human nature is a universe full of emotions and feelings in a magnificent mixture of moments that constitute our lives. An existence without its feelings and emotions is similar to a soup without salt, without seasonings and consequently without flavor. There are those who love to live the extremes, feel the adrenaline, go to heaven and go down to earth in a matter of minutes. Others prefer to drink emotions slowly, slowly sipping. By order of the natural pattern of things, the important thing is to maintain the balance, asserting the maxim: "Not so much honey, not so much salt." We can not be emotional or rational to the extreme in order to preserve a margin of safety that will prevent us from sinking into the emptiness of emotions or their current.

The human being fears the emotional pain more than the physical, for this reason many have avoided more serious emotional engagements, fact that has been causing the banalization of the feelings and consequently, more pain for him. Fleeing from commitments does not imply avoiding inevitable pain, only postponing it and sooner or later it returns and in many cases even more intense than expected. You can not dodge emotions, regardless of their nature. No matter how hard we try to appear strong, hard and impartial, we are naturally emotional beings. There is no denying it, it is a fact!

As a child, I remember when Mom moved when she moved from me, she would cry out of my eyes. Sometimes I realized that and as if I understood, I approached in silence and with those fragile little hands, I caressed his face. She hugged me and cried softly as if she did not want me to see her that way. How many people do the same in the face of parents, children, and spouses in order to avoid a demonstration that they are weak at the time? You may have experienced this situation yourself. We try to demonstrate to the world around us that we are feeling nothing, that everything is fine, when everything is really falling apart.

My mother, because I was still a child, tried to be super strong and her attitude was so that I did not lose in her the security I felt. So do we when we act in a similar way with adults. We do not want to destroy the security that people have when they are with us. Right or wrong, I have not written this matter to judge attitudes, even though I am as or more emotional than anyone else and so I have no merit to judge, but what I try to do is give the reader a light to the fact that many times behind that agitated, untimely, aggressive, and acidic person hides someone screaming for help because he has his emotional shock.

We must never forget that there is always a reason for the emotion to happen, but there must be balance so that we will not experience the burden weighing only one side of the scale. Is it worth loving? Yes, of course! Is it worth getting involved in a new relationship? Yes it is. But first of all we must remember that it is worth much more to remain in equilibrium, to have common sense, good sense. As for new relationships, if you think you are still not ready, wait. It is wise to wait until you are ready. The best way to know if we are ready to love is to find out if we are ready to be loved. One thing has to do with the other, regardless of the order, so do not let the whole time of your life spend munching heartache. Allow yourself to live and be happy, because waves that go, do not come back with the same waters.

The present work, as well as all the texts contained in this web page, are protected by the National and International Laws of Intellectual Property Rights, being prohibited copies, collages, reproduction, dissemination or use of the contents presented in this blog, regardless of media or without the express authorization of the author Tony Casanova, who is solely and exclusively responsible for the material presented. The violation of these Rights constitutes a crime provided for in the Legislation and will be punished with the legal rigors.

To know more about Tony Casanova and the acquisition of his publications, visit THIS LINK
...............................................................................................................

Sentimientos | Equilibrando Razón y Emoción.

La naturaleza humana es un universo repleto de emociones y sentimientos en una mezcla magnífica de momentos que constituyen nuestras vidas. Una existencia sin sus sentimientos y emociones es similar a una sopa sin sal, sin condimentos y consecuentemente sin sabor. Hay quienes adoran vivir los extremos, sentir la adrenalina, ir al cielo y bajar a la tierra en cuestión de minutos. Otros prefieren beber emociones lentamente, probando goles lentamente. Por orden del patrón natural de las cosas, lo importante es mantener el equilibrio, haciendo valer la máxima: "Ni tanto la miel, ni la sal". No podemos ser emocionales o racionales al extremo para preservar un margen de seguridad que nos impedirá de hundirse en el vacío de emociones o en las corrientes de ellas.

El ser humano teme el dolor emocional más que la física, por esta razón muchos han evitado implicaciones emocionales más serias, hecho que viene ocasionando la banalización de los sentimientos y por consecuencia, más dolor para él. Fugir de los compromisos no implica evitar el dolor inevitable, sólo posponerla y tarde o temprano regresa y en muchos casos, aún más intensa de lo esperado. No se puede esquivar las emociones, independientemente de su naturaleza. No importa cuánto intentemos parecer fuertes, duros e imparciales, somos naturalmente seres emocionales. ¡No hay como negar eso, es un hecho!

Cuando niño recuerdo que mamá cuando emocionada salía de cerca de mí y iba a llorar escondida de mis ojos. A veces yo percibía eso y como se entendía, me acercaba en silencio y con aquellas manos frágiles, yo acariciaba su rostro. Ella me abrazaba y lloraba bajito como si no quisiera que la viera de aquella forma. ¿Cuántas personas hacen lo mismo delante de los padres, de los hijos, del cónyuge para evitar una demostración de que están fragilizados en aquel momento? Tal vez usted mismo haya vivido esta situación. Estamos tratando de demostrar al mundo a nuestro alrededor que no estamos sintiendo nada, que está todo bien, cuando en realidad todo se está derrumbando.

Mi madre, por ser todavía un niño, intentaba mostrarse super fuerte y su actitud era para que yo no perdiera en ella la seguridad que sentía. Así también nosotros cuando actuamos de forma similar con adultos. No queremos destruir la seguridad que la gente tiene cuando están con nosotros. Cierto o mal, no escribí esta materia para juzgar actitudes, incluso porque yo soy tan o más emocional que cualquier otra persona y por eso no tengo mérito para juzgar, pero lo que intento hacer es dar al lector una luz para el hecho de que muchas veces, detrás de aquella persona agitada, intemporal, agresiva y ácida se esconde alguien gritando por socorro porque está con su emocional sacudido.

No debemos olvidar nunca que siempre hay una razón para que la emoción suceda, pero es necesario que haya equilibrio para que no vayamos experimentando la carga pesando sólo de un lado de la balanza. ¿Vale la pena amar? ¡Sí, vale, claro! ¿Vale la pena involucrarse en una nueva relación? Sí, vale. Pero antes de todo debemos recordar que vale la pena mucho más conservarse en equiílbrio, tener buen sentido, sensatez. En cuanto a nuevas relaciones, se cree que aún no está listo, espere. Es prudente esperar hasta que esté preparado (a). La mejor manera de saber si estamos preparados para amar es descubrir si estamos listos para ser amados. Una cosa tiene que ver con la otra, independiente del orden, así que no dejes pasar el tiempo entero de tu vida removiendo dolor. Se permite vivir y ser feliz, pues olas que van, no vuelven con las mismas aguas.

La presente obra, así como todos los textos contenidos en esta página web, se encuentran protegidos por las Leyes Nacionales e Internacionales de Derechos de Propiedad Intelectual, siendo prohibidas las copias, collages, reproducción, divulgación o uso de los contenidos presentados en este blog, independiente de los medios o sin la autorización expresa del autor Tony Casanova, a quien corresponde, única y exclusivamente los Derechos sobre el material presentado. La violación de estos Derechos se constituye crimen previsto en la Legislación y será sancionada con los rigores legales.

Para saber más sobre Tony Casanova y la adquisición de sus publicaciones, visite ESTE LINK
  

Quem sou eu

Minha foto

Tony Casanova, brasileiro, natural de Salvador-BA, escreve desde 1976 e é fundador e administrador do Projeto Roda Cultural, instituição virtual de apoio ás Artes e Artistas em geral. Autor dos E-books "Panorama da Artes", "No Litoral das Relações" , "Relações Instáveis", "O Amor Fala Francês", "O amor segundo a Bíblia", este último inspirado em uma matéria sua publicada no blog Mesa Farta e que teve mais de 10.000 leitores. O escritor Tony Casanova escreve em vários estilos, tendo herdado suas técnicas a partir de leituras feitas a partir de grandes vultos da literatura brasileira, entre os quais estão Castro Alves, Rui Barbosa, Cora Coralina, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e outros. Gosta do estilo lírico e tem forte inclinação a esta técnica. O autor tem várias publicações em suas páginas da internet. Entre os gêneros literários que escreve estão a Crônica, Poesia, Poema, Ficção e Romance.

Estamos no Twitter

publicidade