Comportamento | A Importância da Sociabilização Real.

  Independente de onde nascemos, se no Brasil ou fora dele em algum País distante, o ser humano é igual em todas as partes do mundo. Todos sorriem, todos choram, todos amam e todos morrem. As necessidades são as mesmas, as carências também. A humanidade infelizmente possui um péssimo hábito de renovar costumes e esquecer de importantes hábitos tradicionais que eram úteis para a socialização do homem.  Gestos como os cumprimentos por exemplo, estão em desuso.  É sobre este assunto que tratará a matéria de hoje. Como cada um tem recebido seus novos amigos e tratado aqueles mais antigos.  Saiba mais sobre isto. Continue lendo...


  A internet chegou e conquistou a humanidade. Abriu portas para conhecermos novas pessoas de lugares diferentes, muitas vezes culturas opostas ás nossas, línguas diferentes, hábitos e costumes novos para nós. O problema está na unificação, na influência e absorção destes hábitos e costumes, principalmente quando há diferenças de gêneros.  A atração por novos comportamentos, principalmente os mais "liberais" comparando-se aos costumes locais existentes em cada País. É a chamada "Globalização" que une Continentes em torno dos ambientes virtuais e traz a eles informações que antes eram de difícil acesso. Uma vitória com certeza, mas também um risco. Se não houver moderação os hábitos que porventura não são muito, digamos "saudáveis" começarão a invadir outras culturas e transformá-las segundo seus exemplos.

  Mas voltemos á questão que envolve alguns hábitos que são universais e que foram esquecidos não só nos ambientes virtuais, mas na vida real também.  Este assunto não é novo e muito menos a percepção é exclusividade  nossa, este tema já foi abordado nos programas de TV, mas infelizmente a questão não é levada muito á sério.  Sempre em tom de brincadeira, poucas pessoas se deram conta daquilo que de fato acontece.  Com as redes sociais deixamos vir á tona os reflexos da nossa vida real.  Quantas vezes deixamos de cumprimentar ou ignoramos o cumprimento de pessoas por alegarmos que não temos tempo ou porque são desconhecidos?   Quantas vezes estamos tão ligados no mundo virtual que esquecemos a família real que nos cerca e precisa de atenção? Deixamos de lado pais, filhos, tios, primos, amigos, colegas, enfim o mundo real que está diante de nós por estarmos "enterrados" no ambiente virtual? 

  As respostas para as perguntas é uma questão individual.  Cada pessoa deve responder para si mesmo. Há quem ache normal tudo isso. Que declare não estar cometendo um erro.  O mundo vive sua grande fase de individualismos onde cada um busca para si e esquece de pensar nos outros.  A "Socialização Virtual" é válida, até certo ponto.  Até onde não colida com o ambiente real distorcendo valores, quebrando princípios e banalizando costumes e gerando novos hábitos.  O novo não assusta, mas o novo distorcido é nocivo. Altamente prejudicial ao ser humano. É preciso muita cautela nestas situações onde lembra-se do amigo virtual distante enquanto dispensa-se o amigo real que esteve conosco. Situações em que ignora-se os que estão á volta para lembrar-se daqueles que nunca foram vistos.  Como toda relação está pautada no princípio da amizade mútua, nossos cônjuges, pais, filhos, irmãos, primos, colegas de rua, bairro, cidade e País são nossos amigos em potencial,  sendo eles reais e prioritários na esfera social. 

A presente obra, bem como todos os textos contidos nesta web página encontram-se protegidos pelas Leis Nacionais e Internacionais de Direitos de Propriedade Intelectual, sendo proibidas as cópias, colagens, reprodução, divulgação ou uso dos conteúdos apresentados neste blog, independente dos meios ou finalidades, sem a autorização expressa do autor Tony Casanova, a quem cabe, única e exclusivamente os Direitos sobre o material apresentado. A violação destes Direitos se constitui crime previsto na Legislação e será punida com os rigores legais.

Para saber mais sobre Tony Casanova e aquisição de suas publicações, acesse ESTE LINK
.........................................................................................................................................................

 Behavior | The Importance of Real Socialization.

  Regardless of where we are born, whether in Brazil or abroad in some distant Country, the human being is the same in all parts of the world. Everyone smiles, everyone cries, everyone loves and everyone dies. The needs are the same, the needs too. Mankind unfortunately has a bad habit of renewing customs and forgetting important traditional habits that were useful for the socialization of man. Gestures like compliments for example, are deprecated. It is on this subject that will deal with the matter of today. As each one has received his new friends and treated those older ones. Learn more about this. Keep reading...


  The internet has come and conquered mankind. It opened doors to meet new people from different places, often cultures opposed to ours, different languages, habits and customs new to us. The problem is in the unification, in the influence and absorption of these habits and customs, especially when there are differences of genres. The attraction for new behaviors, especially the more "liberal" ones, comparing to the local customs existing in each Country. It is the so-called "Globalization" that unites Continents around the virtual environments and brings to them information that was previously difficult to access. A victory for sure, but also a risk. If there is no moderation habits that are not very, say "healthy" will begin to invade other cultures and transform them according to their examples.

  But let's return to the question that involves some habits that are universal and that have been forgotten not only in virtual environments, but in real life as well. This subject is not new and the perception is not our exclusivity, this theme has already been addressed in TV programs, but unfortunately the issue is not taken very seriously. Always jokingly, few people realized what actually happened. With social networks we let the reflections of our real life come to light. How often do we stop complimenting or ignore people's compliments by claiming that we have no time or because they are unknown? How often are we so connected in the virtual world that we forget the real family around us and need attention? We leave aside parents, children, uncles, cousins, friends, colleagues, finally the real world that is before us because we are "buried" in the virtual environment?

  The answers to the questions is an individual question. Each person must respond to himself. There are those who find it all normal. That you declare that you are not making a mistake. The world lives its great phase of individualism where each one searches for oneself and forgets to think about others. The "Virtual Socialization" is valid, up to a point. As far as it does not clash with the real environment distorting values, breaking principles and banalizing customs and generating new habits. The new does not scare, but the new distorted one is harmful. Highly harmful to humans. It takes a lot of caution in these situations where you remember the distant virtual friend while you dispense with the real friend who was with us. Situations in which those who are around are ignored to remember those who have never been seen. As all relationships are based on the principle of mutual friendship, our spouses, parents, children, siblings, cousins, street friends, neighborhood, city and country are our potential friends, being real and priority in the social sphere.

The present work, as well as all the texts contained in this web page, are protected by the National and International Laws of Intellectual Property Rights, being prohibited copies, collages, reproduction, dissemination or use of the contents presented in this blog, regardless of media or without the express authorization of the author Tony Casanova, who is solely and exclusively responsible for the material presented. The violation of these Rights constitutes a crime provided for in the Legislation and will be punished with the legal rigors.

To know more about Tony Casanova and the acquisition of his publications, visit THIS LINK
.........................................................................................................................................................

 Comportamiento | La Importancia de la Sociabilización Real.

  Independiente de donde nacimos, si en Brasil o fuera de él en algún país lejano, el ser humano es igual en todas partes del mundo. Todos sonríen, todos lloran, todos aman y todos mueren. Las necesidades son las mismas, las carencias también. La humanidad desgraciadamente tiene un pésimo hábito de renovar costumbres y olvidarse de importantes hábitos tradicionales que eran útiles para la socialización del hombre. Los gestos como los saludos, por ejemplo, están en desuso. Es sobre este asunto que tratará la materia de hoy. Como cada uno ha recibido a sus nuevos amigos y tratado a los antiguos. Más información sobre esto. Continuar leyendo ...

  La Internet llegó y conquistó a la humanidad. Abrió puertas para conocer nuevas personas de lugares diferentes, a menudo culturas opuestas a las nuestras, diferentes lenguas, hábitos y costumbres para nosotros. El problema está en la unificación, en la influencia y absorción de estos hábitos y costumbres, principalmente cuando hay diferencias de géneros. La atracción por nuevos comportamientos, principalmente los más "liberales" comparando las costumbres locales existentes en cada país. Es la llamada "Globalización" que une a los continentes en torno a los ambientes virtuales y les aporta información que antes era de difícil acceso. Una victoria con certeza, pero también un riesgo. Si no hay moderación los hábitos que no son muy, digamos "sanos" comenzar a invadir otras culturas y transformarlas según sus ejemplos.

  Pero volvamos a la cuestión que implica algunos hábitos que son universales y que han sido olvidados no sólo en los ambientes virtuales, pero en la vida real también. Este tema no es nuevo y mucho menos la percepción es exclusividad nuestra, este tema ya ha sido abordado en los programas de TV, pero desafortunadamente la cuestión no se toma muy en serio. Siempre en tono de broma, pocas personas se dieron cuenta de lo que realmente sucede. Con las redes sociales dejamos venir a la luz los reflejos de nuestra vida real. ¿Cuántas veces dejamos de saludar o ignorar el cumplimiento de las personas por alegar que no tenemos tiempo o porque son desconocidos? ¿Cuántas veces estamos tan ligados en el mundo virtual que olvidamos la familia real que nos rodea y necesita atención? Dejamos de lado padres, hijos, tíos, primos, amigos, colegas, en fin el mundo real que está delante de nosotros por estar "enterrados" en el ambiente virtual?

  Las respuestas a las preguntas son una cuestión individual. Cada persona debe responder a sí mismo. Hay quien encuentra normal todo eso. Que declare no estar cometiendo un error. El mundo vive su gran fase de individualismos donde cada uno busca para sí y olvida de pensar en los demás. La "socialización virtual" es válida, hasta cierto punto. Hasta donde no choca con el ambiente real distorsionando valores, rompiendo principios y banalizando costumbres y generando nuevos hábitos. El nuevo no asusta, pero el nuevo distorsionado es nocivo. Altamente perjudicial para el ser humano. Es necesario mucha cautela en estas situaciones donde se recuerda al amigo virtual distante mientras se dispensa el amigo real que estuvo con nosotros. Situaciones en que se ignora a los que están alrededor para recordar a aquellos que nunca fueron vistos. Como toda relación está pautada en el principio de la amistad mutua, nuestros cónyuges, padres, hijos, hermanos, primos, colegas callejeros, barrio, ciudad y país son nuestros amigos potencial, siendo ellos reales y prioritarios en la esfera social.

La presente obra, así como todos los textos contenidos en esta página web, se encuentran protegidos por las Leyes Nacionales e Internacionales de Derechos de Propiedad Intelectual, siendo prohibidas las copias, collages, reproducción, divulgación o uso de los contenidos presentados en este blog, independiente de los medios o sin la autorización expresa del autor Tony Casanova, a quien corresponde, única y exclusivamente los Derechos sobre el material presentado. La violación de estos Derechos se constituye crimen previsto en la Legislación y será sancionada con los rigores legales.

Para saber más sobre Tony Casanova y la adquisición de sus publicaciones, visite ESTE LINK

Quem sou eu

Minha foto

Tony Casanova, brasileiro, natural de Salvador-BA, escreve desde 1976 e é fundador e administrador do Projeto Roda Cultural, instituição virtual de apoio ás Artes e Artistas em geral. Autor dos E-books "Panorama da Artes", "No Litoral das Relações" , "Relações Instáveis", "O Amor Fala Francês", "O amor segundo a Bíblia", este último inspirado em uma matéria sua publicada no blog Mesa Farta e que teve mais de 10.000 leitores. O escritor Tony Casanova escreve em vários estilos, tendo herdado suas técnicas a partir de leituras feitas a partir de grandes vultos da literatura brasileira, entre os quais estão Castro Alves, Rui Barbosa, Cora Coralina, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e outros. Gosta do estilo lírico e tem forte inclinação a esta técnica. O autor tem várias publicações em suas páginas da internet. Entre os gêneros literários que escreve estão a Crônica, Poesia, Poema, Ficção e Romance.

Estamos no Twitter

publicidade