Breaking

Preconceito | O Começo de Uma Era.

  Na maioria das vezes elas são simpáticas, alegres e extrovertidas. Gostam de fazer novas amizades e de conversar, brincar e sorrir muito. O riso muitas vezes vem tão fácil quanto o choro. Sensibilidade aguçada, a natureza parece ter privilegiado estas mulheres com um lado emocional diferenciado. Mais frágeis, muitas vezes elas convivem com intensas depressões e estão em constante luta contra o preconceito. No mercado da moda elas são chamadas de Plus Size, comumente rotuladas de gordas, gordinhas ou cheínhas, mas o fato é que muitos desconhecem o fato de que elas desejam mesmo é serem vistas apenas como mulheres, sem os títulos, os rótulos atribuídos que mais se assemelham a um selo social.  
  O que muita gente desconhece é aquilo que muitas vezes se esconde por trás dos sorrisos destas mulheres. Quantas delas se recolhem aos seus quartos e desabam em prantos após terem visto ou ouvido algo que lhes afetou o emocional. Grande parte desta carga negativa vem do mercado da moda e seus padrões de beleza que estipulam a regra de que a moda é feita para magras, aliás diga-se de passagem, magérrimas modelos que desfilam nas passarelas do mundo. A grande dificuldade do setor em reconhecer que mulheres nascem em todos os padrões e que todas elas consomem a moda que se cria ou pelo menos desejariam consumi-la caso estivesse disponível para elas.
  O fato somado á liberdade sexual desta era e reforçado pela corrida pelos corpos ditos "sarados",  provoca nas mulheres acima do peso um verdadeiro trauma. As academias lotam de mulheres jovens que buscam o corpo perfeito, barriguinhas de tanquinho, seios firmes, coxas torneadas e bumbum nas nuvens, como dizem. Enquanto isso as que estão acima das medidas se deprimem e choram, mergulham no vazio do desejo de também ter um corpo no mínimo normal.  Estes fatos produzem um acentuado desequilíbrio emocional que muitas mulheres não conseguem vencer.
   Agora se uma mulher sente tanto o peso da vaidade a ponto de adoecer mesmo em dias considerados normais, imagine então quando estão na TPM. É como lançar gasolina ao fogo! Na verdade todo este processo depressivo nestas pessoas é gerado pela pressão social dos mercados de moda, das mídias e do capitalismo que induz a criação de perfis de compra baseado nas estatísticas de maior número de consumidoras. Décadas atrás, até mesmo séculos antes de tudo começar, prevaleciam os corpo mais avolumados, sem que houvesse tanto apelo sobre a exibição dos ossos nas passarelas.
   O preconceito é sentido não só em redes sociais, mas também na vida cotidiana das mulheres fora dos padrões sociais de aceitação, mas uma boa notícia já é presenciada e pode ser vista entre as mulheres que sorem esta pressão social. Elas estão se afirmando e conquistando espaço cada vez maior, não só nos segmentos de moda, mas a indústria já enxerga a chamada mulher "gordinha" como parte dos seus perfis de consumo. Isto é bom? Não! Isto é ótimo! Com a indústria cedendo espaço para elas, certamente diminuirá a carga negativa e haverá mais condições de reação, evitando assim um grande número de mulheres em depressão.
  Enquanto o ser humano olhar seu semelhante buscando nele distinções, jamais haverá igualdade baseada na competência, no caráter e no capacidade. Não por serem mulheres, nem por serem gordinhas, magrinhas ou o que for, mas por serem humanas e todo ser humano merece, precisa obter o respeito dos seus semelhantes.  Não será a cor da pele, a religião, a Raça, o gênero que deve prevalecer sobre a espécie  porque não há dois criadores para este mundo e aquele que nos criou, certamente nos fez iguais.
   


Texto do Escritor e Autor Tony Casanova. Todos os Direitos estão Reservados ao Autor assegurados pelas Leis Brasileiras e Internacionais de Proteção aos Direitos de Propriedade Intelectual.

Tony Casanova é Autor das obras: Panorama Das Artes, O amor segundo a Bíblia, No Litoral das Relações - Aprendendo com os Erros, Relações Instáveis - Como Evitar Decepções e O Amor Fala Francês. Você poderá adquirir uma ou mais obras do autor acessando ESTE LINK

........................................................................................................................................................    

    
Prejudice | The Beginning of an Era.

   Most of the time they are nice, cheerful and outgoing. They like to make new friends and to talk, play and smile a lot. Laughter often comes as easy as crying. Sharp sensibility, nature seems to have privileged these women with a distinct emotional side. More fragile, they often coexist with intense depression and are in constant struggle against prejudice. In the fashion market they are called Plus Size, commonly labeled as fat, chubby or chubby, but the fact is that many are unaware of the fact that they really want to be seen only as women, without the titles, the most attributed labels Resemble a social seal.
  What many people do not know is what often hides behind the smiles of these women. How many of them go to their rooms and burst into tears after seeing or hearing something that has affected their emotional. Much of this negative charge comes from the fashion market and its beauty standards stipulating the rule that fashion is made for lean, by the way, thin models that parade on the catwalks of the world. The great difficulty of the sector in recognizing that women are born in all the patterns and that all of them consume the fashion that is created or at least would wish to consume it if it were available for them.
  The fact added to the sexual freedom of this era and reinforced by the race by the bodies said "healed", causes in the overweight women a real trauma. The academies are full of young women who seek the perfect body, tight little breasts, firm breasts, turned thighs and butt in the clouds, as they say. Meanwhile those who are above the measures get depressed and cry, plunge into the emptiness of the desire to also have a body at least normal. These facts produce a marked emotional imbalance that many women can not overcome.
   Now if a woman feels so much the weight of vanity to the point of getting sick even on days considered normal, then imagine when they are in the PMS. It's like throwing gasoline into the fire! In fact all this depressive process in these people is generated by the social pressure of the markets of fashion, the media and capitalism that induces the creation of profiles of purchase based on the statistics of greater number of consumers. Decades ago, even centuries before everything began, the body was more abundant, without there being so much appeal about the display of the bones on the catwalks.
   Prejudice is felt not only in social networks but also in women's daily lives outside of social acceptance patterns, but good news is already witnessed and can be seen among women who savor this social pressure. They are asserting themselves and gaining more and more space, not only in the fashion segments, but the industry already sees the so-called chubby woman as part of their consumer profiles. This is good? No! This is great! With industry giving up space for them, it will certainly decrease the negative charge and there will be more reaction conditions, thus avoiding a large number of women in depression.
  As long as the human being looks at his or her alike by seeking distinctions in it, there will never be equality based on competence, character, and ability. Not because they are women, not because they are chubby, skinny or whatever, but because they are human and every human being deserves, they must obtain the respect of their fellow men. It will not be the color of the skin, the religion, the Race, the genre that should prevail over the species because there are no two creators for this world and the one who created us certainly made us the same.
   

Writer Text and Author Tony Casanova. All Rights Reserved to Authorized by the Brazilian and International Laws for the Protection of Intellectual Property Rights.

Tony Casanova is an author of works: Panorama of the Arts, Love according to the Bible, On the Coast of Relationships - Learning from Mistakes, Unstable Relationships - How to Avoid Disappointments and Love French. You may purchase one or more of the author's works by accessing THIS LINK
.................................................. .................................................. .................................................. .. 

     
Perjuicio | El Comienzo de Una Época.

   La mayoría de las veces son amable, alegre y extrovertida. A ellos les gusta hacer nuevos amigos y chatear, jugar y sonreír mucho. La risa viene a menudo tan fácil como el llanto. aumento de la sensibilidad, la naturaleza parece haber favorecido a estas mujeres con un lado emocional diferente. Más frágiles, que a menudo viven con la depresión severa y están en constante lucha contra los prejuicios. En el mercado de la moda que se llaman de talla, grasa, generalmente denominados, rollizo o gordita, pero el hecho es que muchos no son conscientes del hecho de que quieren es para ser visto sólo como mujeres sin los títulos, las etiquetas asignadas más que se asemejan a una etiqueta social.
  Lo que mucha gente no sabe es lo que a menudo se esconde detrás de las sonrisas de estas mujeres. ¿Cuántos de ellos están reunidos a sus habitaciones y colapso de las lágrimas después de ver o escuchar algo que les afecta emocionalmente. Gran parte de esta carga negativa proviene del mercado de la moda y sus estándares de belleza que se estipula la regla de que la moda está hecha de fina, de hecho dicen las vías, los modelos de palo delgado que desfilan las pasarelas del mundo. La dificultad de la industria de reconocer que las mujeres nacen con todos los estándares y todos ellos consumen de manera que crea o al menos le gusta consumirlo si estuviera disponible para ellos.
  Eso se sumó a la libertad sexual y esto fue reforzado por la carrera por dichos organismos "curados", provoca en las mujeres con sobrepeso un verdadero trauma. El academias multitud de mujeres jóvenes que buscan el cuerpo perfecto, panzas de tabla de lavar, pechos firmes, los muslos y las nalgas bien formadas en las nubes, como se suele decir. Mientras tanto esas medidas anteriores están deprimidos y lloran, sumergirse en el vacío del deseo de tener también un cuerpo en el mínimo normal. Estos hechos producen un desequilibrio emocional agudo que muchas mujeres no pueden ganar.
   Ahora bien, si una mujer se siente tanto el peso de la vanidad hasta el punto de enfermarse incluso en los días considerados normales, no importa cuando se encuentran en el PMS. Es como echar gasolina al fuego! De hecho, todo este proceso deprimente en estas personas es generada por la presión social de los mercados de la moda, los medios y el capitalismo que induce la creación de perfiles basados ​​en la compra más estadísticas de consumo. Hace décadas, incluso siglos antes de que empezara, el cuerpo avolumados más frecuente, sin recurso, tanto en la pantalla de los huesos en la pasarela.
   El prejuicio se deja sentir no sólo en las redes sociales, sino también en las mujeres de la vida cotidiana fuera de las normas de aceptación social, pero una buena noticia ya es testigo y se puede ver en las mujeres que sufrir esta presión social. Ellos están reclamando y ganando más espacio, no sólo en los segmentos de moda, pero la industria ya se ve a la mujer llamada "gordito" como parte de sus perfiles de consumo. ¿Esto es bueno? No! Esto es muy bueno! Con la industria dando paso para ellos ciertamente disminuir la carga negativa y no serán más las condiciones de reacción, evitando de esta manera un gran número de mujeres en la depresión.
  Mientras que los humanos se parecen a su buscándolo distinciones, nunca habrá igualdad basada en la competencia, carácter y capacidad. No porque sean mujeres o porque son rechoncha, flaca o lo que sea, sino porque son humanos y todos los seres humanos merecen, necesitan para obtener el respeto de los demás. No va a ser el color de la piel, la religión, la raza, el género debe prevalecer sobre la especie, porque hay dos creadores de este mundo y el que nos ha creado, sin duda nos hizo iguales.
   

Escritor de texto y el autor, Tony Casanova. Todos los derechos están reservados al Autor garantizada por la legislación brasileña y la Protección Internacional de los Derechos de Propiedad Intelectual.

Tony Casanova es autor de obras: Panorama del arte, el amor, según la Biblia, Las Relaciones costeras - Aprender de los errores, relaciones inestables - Cómo evitar decepciones y Habla francés del amor. Usted puede comprar una o más obras del autor, visita ESTE ENLACE

Seguidores do Google

Matéria de Hoje

Projeto Roda Cultural | Como Você Pode Ajudar.

  O Projeto Roda Cultural, idealizado pelo escritor  brasileiro Tony Casanova no ano de 2010, tem como objetivo abordar e divulgar temas...

Outras Páginas do Autor

Quem sou eu

Minha foto

Tony Casanova, brasileiro, natural de Salvador-BA, escreve desde 1976 e é fundador e administrador do Projeto Roda Cultural, instituição virtual de apoio ás Artes e Artistas em geral. Autor dos E-books "Panorama da Artes", "No Litoral das Relações" , "Relações Instáveis", "O Amor Fala Francês", "O amor segundo a Bíblia", este último inspirado em uma matéria sua publicada no blog Mesa Farta e que teve mais de 10.000 leitores. O escritor Tony Casanova escreve em vários estilos, tendo herdado suas técnicas a partir de leituras feitas a partir de grandes vultos da literatura brasileira, entre os quais estão Castro Alves, Rui Barbosa, Cora Coralina, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e outros. Gosta do estilo lírico e tem forte inclinação a esta técnica. O autor tem várias publicações em suas páginas da internet. Entre os gêneros literários que escreve estão a Crônica, Poesia, Poema, Ficção e Romance.