Breaking

Crônica | O valente na Tempestade.

  Já vi muita gente tremer com medo de tempestades, principalmente aquelas com raios e trovões, mas também tem gente que não só treme, também se borra quando parece que o céu está se partindo ao meio. Eu tive uma vizinha assim.  A cada trovão que ouvia a pobre criatura gritava dentro de casa e ai, pronto, ninguém mais conseguia dormir na vizinhança. Não sei se era coincidência ou coisa do destino, mas o fato é que enquanto ela esteve viva eu pude presenciar as piores tempestades da minha vida. E tome trovão quebrando o céu e toca a vizinha a gritar coisas do tipo: Meu Deus me acuda! Caô meu pai! Eu me acabava de rir, claro que eu também estava todo borrado, mas eu ria. Parecia que o medo dela servia para esconder o meu e enquanto tudo estrondava, ela gritava e eu dava risada e me borrava todo. Um dia aconteceu uma tempestade daquelas. Sabe aquelas tempestades bem fortes? Destas que você entrega os pontos e pensa: Chegou minha hora! Aconteceu. Os raios cintilavam e os trovões pareciam querer que a terra se partisse no meio. Eu ficava imaginando se a terra partisse, em qual das metades eu iria ficar. 

  Naquela noite não foram só raios e trovões, mas também um vento que de tão forte assombrava até os mais valentes. Eu, logicamente não era o mais valente. Já estava todo borrado, mas esperava a vizinha gritar e nada. Pensei: Morreu meu Deus. Preciso ir até lá. Mas como sair neste tempo. Relutei e ganhei coragem. Abri o portão e fui até a casa dela.

- Vizinha! Gritei
- Vizinha!
- Oi meu filho. Respondeu ela.  - Graças a Deus! Eu pensei. Está viva.
- Tudo bem por ai?  - Tudo bem, ela respondeu.
- Qualquer coisa é só chamar viu.
- Tá meu filho, eu chamo. Disse com a voz trêmula de medo. Entendi então o que aconteceu. Ela estava com tanto medo que perdera a voz.

  Para os valentes de plantão. Aqueles que gostam de se aventurar a dar passeios pelas ruas em dias de tempestade e que dizem que não se borram igual a mim, deixa eu dizer uma coisinhas básicas. Filho, se tem algo que você não deve temer são os trovões. Não, não tenha medo deles. Mesmo porque quando você ouve o trovão, o raio já desceu e fritou alguma coisa antes. Isso mesmo filhote. Os raios costumam fritar coisas na terra, tipo árvores, animais, postes, casas, valentes que ignoram o perigo e outras cositas más. Os locais abertos tipos praias, campos de futebol, locais próximos ás árvores, redes de energia são os preferidos dos raios para fritar alguma coisa e outra, eles adoram gente inconsequente perambulando pelas ruas por falta do que fazer.

  Mas tem gente teimosa e que se acha o tal, ai resolve dar um passeio, ele e seu fiel guarda-chuvas. Criatura acorde para a vida. Guarda-chuvas não é para-raios e se fosse tu estaria literalmente frito, pois não há nada neste mundo capaz de suportar uma descarga elétrica causada por um raio. Na melhor das hipóteses ele iria abrir teu cabelinho no meio ou deixá-lo bem assanhado. Para você entender, primeiro cai o raio, depois o trovão, Isto porque a velocidade da luz é em muito superior a do som, assim quando ouvimos o estrondo do trovão, o raio já caiu alguns segundos antes. O melhor de tudo é que você nunca sabe onde uma descarga vai descer, assim é uma maravilhosa brincadeira de roleta russa, onde você pode fritar de uma hora para outra.

  Ontem durante a noite houve uma tempestade daquelas aqui. Razão que me inspirou a escrever esta crônica. E enquanto me vinha a inspiração para escrever eu dava risadas, todo borrado é claro, mas eu ria. Era como se minha vizinha estivesse ainda gritando lá do além e eu de cá me acabasse de rir. Mas o fato é que tempestades não são brincadeira e são muito perigosas, a menos que você queira bancar o valente e correr o risco de fritar suas carnes durante a queda de um raio. Ah! E nem adianta gritar, eu descobri isso, mas se quiser pode, assim talvez eu ouça e comece a dar risadas enquanto me borro de medo.


Texto do Escritor e Autor Tony Casanova. Todos os Direitos Reservados e garantidos pelas Leis Nacionais e Internacionais de Proteção aos Direitos de Propriedade Intelectual. Proibida a cópia, colagem, reprodução ou divulgação de qualquer natureza, do todo ou parte dele, independente dos meios ou fins. A violação destes Direitos constitui-se crime e está passiva das punições legais cabíveis. 

Saiba mais do autor NESTE LINK
...........................................................................................................................................

  Chronicle | The Brave in the Storm.


  I've seen a lot of people tremble in fear of storms, especially those with lightning and thunder, but there are also people who not only tremble, it also fades when it seems like the sky is breaking in half. I had a neighbor like that. With every thunder he heard the poor creature screaming in the house and there, ready, no one else could sleep in the neighborhood. I do not know if it was coincidence or something of fate, but the fact is that while she was alive I could witness the worst storms of my life. And take thunder breaking the sky and touch the neighbor to shout things like: My God come to me! Shit, Dad! I just laughed, of course I was all smudged, but I laughed. It seemed that her fear was enough to hide mine, and as everything rumbled, she screamed and I laughed and erased everything. One day such a storm happened. Do you know those strong storms? From these you give the points and think: My time has come! It happened. Lightning flashed and thunder seemed to want the earth to break apart. I wondered if the earth left, in which of the halves I was going to stay.

  That night it was not just lightning and thunder, but also a wind that was so haunting even the bravest. I, of course, was not the bravest. It was already blurred, but he expected the neighbor to scream and nothing. I thought: My God died. I need to go there. But how to get out in this time. I relented and gained courage. I opened the gate and went to her house.

- Neighbor! Cried
- Neighbor!
- Hi, my son. She answered. - Thank God! I thought. It's alive.
- Are you all right there? "All right," she replied.
- Anything is just call saw.
- It's my son, I'll call. He said in a trembling voice of fear. I understood then what happened. She was so afraid she'd lost her voice.
  For the valiant on duty. Those who like to venture to stroll through the streets on stormy days and who say they do not blur like me, let me say a few basic things. Son, if there's one thing you should not fear, it's thunder. No, do not be afraid of them. Even because when you hear the thunder, lightning has already gone down and fried something before. That's right, pup. The rays usually fry things on earth, like trees, animals, poles, houses, brave men who ignore danger and other things. The open beaches, soccer fields, places near the trees, energy networks are preferred from the rays to fry something and another, they love inconsequential people wandering the streets for lack of what to do.

  But there are people stubborn and that is the one, then he decides to take a walk, he and his faithful umbrellas. Creature chord for life. Umbrellas are not lightning rods and if it were you would be literally fried, as there is nothing in this world capable of withstanding a lightning strike. At best he would open your hair in the middle or make you very wild. For you to understand, first lightning falls, then thunder, Because the speed of light is far superior to that of sound, so when we hear the thunder crash, lightning has already fallen a few seconds before. Best of all is that you never know where a download goes down, so it's a wonderful Russian roulette game where you can fry from time to time.

  Yesterday night there was a storm like those here. Reason that inspired me to write this chronicle. And as inspiration came to me to write I would laugh, all blurred of course, but I laughed. It was as if my neighbor was still screaming from beyond and I just laughed. But the fact is that storms are no joke and are very dangerous unless you want to play the brave and risk frying your flesh during a lightning strike. Ah! And no use screaming, I discovered this, but if you want you can, so maybe I hear and start laughing while I freak out.

Writer Text and Author Tony Casanova. All Rights Reserved and guaranteed by the National and International Laws for the Protection of Intellectual Property Rights. No part of it may be copied, collated, reproduced or disseminated, regardless of its means or purpose. The violation of these Rights constitutes a crime and is passive of the applicable legal punishments.

Learn more about the author IN THIS LINK
.................................................. .................................................. .......................................

  Crónica | La Valente Storm.

  He visto a muchas personas temblar de miedo a las tormentas, especialmente aquellos con truenos y relámpagos, pero también hay gente que no sólo batidos, también difumina cuando parece que el cielo se está rompiendo por la mitad. Tenía un vecino de esa manera. Cada trueno oyó la pobre criatura gritó dentro de la casa y de ahí, listo, nadie podía dormir en el barrio. No sé si fue coincidencia o cosa destino, pero el hecho es que mientras ella estaba viva pude ser testigo de las peores tormentas de mi vida. Y tomar un trueno romper el cielo y toca el vecino gritando cosas como: Oh, Dios mío ven en mi ayuda! Perro Mi padre! Yo acababa de reír, por supuesto, yo también estaba toda borrosa, pero me reí. Parecía que su miedo se utilizó para ocultar mi y mientras todos estrondava lloraba y me rió y me dio toda borrosa. Un día hubo una tormenta así. Usted sabe que esas tormentas muy fuertes? Estos se entregan los puntos y piensan, mi tiempo ha llegado! Sucedió. El relámpago y el trueno parecían querer la tierra se rasgó en el medio. Me preguntaba si la tierra a la izquierda, en la que la mitad me gustaría tener.

  Esa noche no era sólo el trueno y el rayo, sino también un viento tan fuerte perseguido incluso el más valiente. Yo, por supuesto, no era el más valiente. Estaba todo borrosa, pero que espera que los gritos cerca y nada. Pensé, Dios mío murió. Tengo que ir allí. Pero cómo salir de este tiempo. Me resistía y gané el valor. Abrí la puerta y fui a su casa.

- Vecino! grité
- Vecino!
- Hola mi hijo. Ella dijo. - ¡Gracias a Dios! Yo pensé. Está viva.
- ¿Todo bien por ahí? - Muy bien, dijo.
- Cualquier cosa simplemente llamar la sierra.
- ¿Está mi hijo, que llamo. Dijo con voz temblorosa de miedo. Entonces comprendí lo que pasó. Tenía tanto miedo de que había perdido su voz.
  Para los poderosos de turno. Aquellos que gustan de aventurarse a salir a caminar por las calles en días de tormenta y dicen que no se desdibujan como yo, permítanme decir una cosas poco básico. Hijo, si tiene algo que no debe temer son los truenos. No, no tenga miedo de ellos. Incluso porque cuando se escucha el trueno, el rayo ya ha descendido y frito nada antes. Esa es la pantorrilla derecha. Los rayos a menudo se fríen las cosas en la tierra, como los árboles, los animales, postes, casas, hombres muy ignoran el peligro y otras cositas malas. tipos de locales abiertos playas, campos de fútbol, ​​lugares cerca de los árboles de la ECA, las redes eléctricas son los preferidos de los rayos para freír algo y otra, que aman a la gente sin importancia que vagan por las calles por falta de qué hacer.

  Pero la gente tiene terco y que es el que, no decide tomar un paseo, él y sus sombrillas de confianza. Criatura despierta a la vida. Sombrillas no son pararrayos y si le literalmente frito, pues no hay nada en este mundo capaz de soportar una descarga eléctrica provocada por un rayo. En el mejor de él abriría su poco pelo en el medio o salir de ella y sibilante. Para usted primero entender las caídas de vigas, a continuación, el trueno, Esto se debe a la velocidad de la luz es mucho más alto que el sonido, así que cuando oímos el sonido de un trueno, el rayo ha caído unos segundos antes. Lo mejor de todo es que nunca se sabe donde una descarga baja, por lo que es un juego de ruleta rusa maravillosa, donde se puede freír una hora a otra.

  Ayer durante la noche hubo una tormenta de los que están aquí. Razón por la que me inspiró a escribir esta crónica. Y como he venido la inspiración para escribir di risas, todo borrosa, por supuesto, pero me reí. Era como si mi vecino seguía gritando allá del más allá y terminé aquí para que me ría. Pero el hecho es que las tormentas no son ninguna broma y son muy peligrosos, a menos que quiera jugar el valiente y correr el riesgo de freír sus carnes durante la caída de un rayo. Ah! Y ningún punto de llorar, me encontré con esto, pero si quieres puedes, así que tal vez escucho y empezar a reír como yo desenfoque en el miedo.

Escritor de texto y autor Tony Casanova. Todos los derechos reservados y garantizados por leyes nacionales y Protección Internacional de los Derechos de Propiedad Intelectual. La copia, el collage, la reproducción o divulgación de cualquier tipo, de todos o parte de ella, independientemente de los medios o extremos. La violación de estos derechos constituye un delito y es pasivo las sanciones legales aplicables.

Más información este autor ENLACE

Seguidores do Google

Matéria de Hoje

Relacionamentos | As Relações e as Redes Sociais.

   A relação poder ser um namoro, um noivado ou mesmo o casamento, mas a base que constitui qualquer relacionamento é a mesma. Relações ...

Outras Páginas do Autor

Quem sou eu

Minha foto

Tony Casanova, brasileiro, natural de Salvador-BA, escreve desde 1976 e é fundador e administrador do Projeto Roda Cultural, instituição virtual de apoio ás Artes e Artistas em geral. Autor dos E-books "Panorama da Artes", "No Litoral das Relações" , "Relações Instáveis", "O Amor Fala Francês", "O amor segundo a Bíblia", este último inspirado em uma matéria sua publicada no blog Mesa Farta e que teve mais de 10.000 leitores. O escritor Tony Casanova escreve em vários estilos, tendo herdado suas técnicas a partir de leituras feitas a partir de grandes vultos da literatura brasileira, entre os quais estão Castro Alves, Rui Barbosa, Cora Coralina, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e outros. Gosta do estilo lírico e tem forte inclinação a esta técnica. O autor tem várias publicações em suas páginas da internet. Entre os gêneros literários que escreve estão a Crônica, Poesia, Poema, Ficção e Romance.