Relacionamento | O Preço da Infidelidade.

  Mais uma vez volto a falar sobre o tema Infidelidade e como sempre faço vou explicar que meus textos não fazem defesa de gêneros, mesmo porque a infidelidade deixou de ser uma exclusividade masculina já faz muito tempo. Priorizando o assunto e o conduzindo de maneira imparcial, foco nas consequências nocivas desta ação sem procurar atribuí-la a este ou aquele gênero. Veremos o que leva o ser humano a trair e como evitar cair nestas ciladas que são as opções fáceis ou mesmo a tentação de permitir que as vontades pessoais nos dominem. Aquele que deseja ser fiel consegue fazer isso sem nenhum esforço e cabe a cada um dos cônjuges manter-se distante do que possa representar um risco ao pacto de fidelidade. Continue Lendo...
  Todo e qualquer relacionamento possui um pacto de fidelidade, uma aliança de compromisso e repeito mútuo que é firmada independente de assinaturas em papéis, documentos ou testemunhas. É algo lógico que quem assume o compromisso tem a responsabilidade de ser fiel enquanto estiver junto, mas a verdade é quem sempre isto acontece assim. Infelizmente lares são destruídos e famílias desfeitas por conta da infidelidade.  Mas afinal por que ser infiel tornou-se tão comum em nossos dias e as traições assumiram patamares tão elevados a ponto de ameaçar a Instituição Casamento? Em primeira análise é possível perceber que não se trata de apenas um fator que contribui para tal situação, mas a soma de vários fatores que em conjunto passam a dominar a mente e induzir pessoas á infidelidade.

  De antemão já deixo frisado que o fato de haverem fatores contribuintes para gerar tal situação, este fatores não justificam o ato em hipótese alguma. Trair é quebrar uma promessa vital na relação, romper uma aliança firmada com base no respeito e na confiança mútua e de forma nenhuma pode ser justificada por argumento ou razão alguma. Não se pode alegar inocência, pois somos conscientes do que fazemos e sabemos exatamente o risco que corremos, portanto ao trair assumimos o risco de romper a relação e consequentemente destruirmos a família que temos. "A carne é fraca" é um argumento tão estúpido que não acredito que muitos ainda o usem. Afirmações do tipo: "Foi um momento de fraqueza" nem deveriam ser ditas, pois além de tornarem a situação pior ela soa como confissão de culpa. 

  O fato é que toda traição tem seu preço e ele é bem alto. Tão alto que nem vale a pena arriscar-se, portanto pense bastante antes de enveredar-se por este caminho sem volta.  Aquele que é traído perde completamente a confiança que depositava no outro e não é fácil recuperá-la, mesmo porque em muitos casos geralmente o traidor é reincidente. Não é uma regra, mas casos assim são bem numerosos. Mesmo que haja o perdão, a relação jamais será a mesma e toda a família será afetada. Existem casos em que indivíduos acreditam terem o "direito" de trair e outros pensam que devem "pagar na mesma moeda", fazendo com que o relacionamento seja banalizado e torne-se vulgar e insuportável.

  Esta foi a matéria de hoje, espero que você tenha gostado e se gostou compartilhe-a, deixe seu comentário, siga este blog. Muito obrigado por ter vindo e volte sempre. Você é bem vindo(a) aqui sempre. Forte abraço e até a próxima. 

A presente obra, bem como todos os textos contidos nesta web página encontram-se protegidos pelas Leis Nacionais e Internacionais de Direitos de Propriedade Intelectual, sendo proibidas as cópias, colagens, reprodução, divulgação ou uso dos conteúdos apresentados neste blog, independente dos meios ou finalidades, sem a autorização expressa do autor Tony Casanova, a quem cabe, única e exclusivamente os Direitos sobre o material apresentado. A violação destes Direitos se constitui crime previsto na Legislação e será punida com os rigores legais.

Para saber mais sobre Tony Casanova e aquisição de suas publicações, acesse ESTE LINK
.....................................................................................................................................................

 Relationship | The Price of Infidelity.

  Once again I will talk about the subject of Infidelity and as I always do I will explain that my texts do not defend gender, even though infidelity has ceased to be a male exclusivity for a long time. Prioritizing the subject and conducting it impartially, focus on the harmful consequences of this action without seeking to attribute it to this or that genre. We will see what leads the human being to betray and how to avoid falling into these pitfalls which are the easy options or even the temptation to allow personal wills to dominate us. The one who wishes to be faithful can do this effortlessly and it is up to each of the spouses to keep away from what might pose a risk to the fidelity pact. Keep reading...

  Each and every relationship has a fidelity pact, an alliance of commitment and mutual trust that is signed independently of signatures on paper, documents or witnesses. It is logical that the one who undertakes the commitment has the responsibility to be faithful while together, but the truth is that this always happens this way. Unfortunately homes are destroyed and families are destroyed because of their infidelity. But why is unfaithfulness so commonplace in our day, and betrayal has taken such high heights as to threaten the Marriage Institution? In the first analysis it is possible to perceive that it is not only a factor that contributes to this situation, but the sum of several factors that together come to dominate the mind and induce people to infidelity.

  In advance, I would like to emphasize that the fact that there are contributing factors to generate such a situation, these factors do not justify the act in any hypothesis. To betray is to break a vital promise in the relationship, to break an alliance based on respect and mutual trust and in no way can be justified by argument or reason. We can not claim innocence because we are aware of what we do and we know exactly what risk we are in, so by betraying we risk breaking the relationship and eventually destroying the family we have. "The flesh is weak" is such a stupid argument that I do not believe that many still use it. Affirmations of the type: "It was a moment of weakness" nor should they be said, because besides making the situation worse it sounds like a confession of guilt.

  The fact is that all betrayal has its price and it is very high. So high that it's not even worth taking a chance on, so think hard enough before you take this unsuccessful path. He who is betrayed completely loses the confidence he has placed in the other, and it is not easy to recover it, because in many cases the traitor is often a repeat offender. It is not a rule, but cases like this are very numerous. Even if there is forgiveness, the relationship will never be the same and the whole family will be affected. There are cases where individuals believe they have the "right" to betray and others think they should "pay in kind," making the relationship trivialize and become vulgar and unbearable.

  This was the story of today, I hope you liked it and if you liked it share it, leave your comment, follow this blog. Thank you so much for coming and coming back. You're always welcome here. Strong hug and see you next time.

The present work, as well as all the texts contained in this web page, are protected by the National and International Laws of Intellectual Property Rights, being prohibited copies, collages, reproduction, dissemination or use of the contents presented in this blog, regardless of media or without the express authorization of the author Tony Casanova, who is solely and exclusively responsible for the material presented. The violation of these Rights constitutes a crime provided for in the Legislation and will be punished with the legal rigors.

To know more about Tony Casanova and the acquisition of his publications, visit THIS LINK
...................................................................................................................................................

 Relaciones | El precio de la infidelidad.

  Una vez más vuelvo a hablar sobre el tema Infidelidad y como siempre voy a explicar que mis textos no hacen defensa de géneros, incluso porque la infidelidad ha dejado de ser una exclusividad masculina desde hace mucho tiempo. Priorizando el asunto y conduciendo de manera imparcial, centrándose en las consecuencias nocivas de esta acción sin procurar atribuirla a este o aquel género. Veremos lo que lleva al ser humano a traicionar y cómo evitar caer en estas trampas que son las opciones fáciles o incluso la tentación de permitir que las voluntades personales nos dominen. Aquel que desea ser fiel logra hacerlo sin ningún esfuerzo y corresponde a cada uno de los cónyuges mantenerse alejado de lo que pueda suponer un riesgo al pacto de fidelidad. Continúe leyendo ...

  Toda relación tiene un pacto de fidelidad, una alianza de compromiso y repetición mutua que es firmada independientemente de firmas en papeles, documentos o testigos. Es algo lógico que quien asume el compromiso tiene la responsabilidad de ser fiel mientras esté junto, pero la verdad es quien siempre esto sucede así. Lamentablemente, los hogares se destruyen y las familias deshechas por la infidelidad. Pero ¿por qué ser infiel se ha vuelto tan común en nuestros días y las traiciones han asumido niveles tan elevados que amenazan a la Institución Matrimonio? En primer análisis es posible percibir que no se trata de sólo un factor que contribuye a tal situación, sino la suma de varios factores que en conjunto pasan a dominar la mente e inducir a las personas a la infidelidad.

  De antemano ya dejo frisado que el hecho de haber factores contribuyentes para generar tal situación, este factores no justifican el acto en hipótesis alguna. Traer es romper una promesa vital en la relación, romper una alianza firmada con base en el respeto y la confianza mutua y de ninguna manera puede ser justificada por argumento o razón alguna. No se puede alegar inocencia, pues somos conscientes de lo que hacemos y sabemos exactamente el riesgo que corremos, por lo tanto al traicionamos asumimos el riesgo de romper la relación y, consecuentemente, destruir la familia que tenemos. "La carne es débil" es un argumento tan estúpido que no creo que muchos todavía lo usen. Afirmaciones del tipo: "Fue un momento de debilidad" ni deberían ser dichas, pues además de hacer la situación peor suena como confesión de culpa.

  El hecho es que toda traición tiene su precio y él es muy alto. Tan alto que no vale la pena arriesgarse, así que piense bastante antes de emprender este camino sin retorno. El que es traicionado pierde completamente la confianza que depositaba en el otro y no es fácil recuperarla, incluso porque en muchos casos generalmente el traidor es reincidente. No es una regla, pero casos así son muy numerosos. Aunque haya el perdón, la relación jamás será la misma y toda la familia será afectada. Hay casos en que los individuos creen tener el "derecho" de traicionar y otros piensan que deben "pagar en la misma moneda", haciendo que la relación sea banalizada y se vuelva vulgar e insoportable.

  Este fue el tema de hoy, espero que hayan disfrutado y le gustaba compartir, dejar sus comentarios, siga este blog. Muchas gracias por haber venido y volver siempre. Usted es bienvenido aquí siempre. Fuerte abrazo y hasta la próxima.

La presente obra, así como todos los textos contenidos en esta página web, se encuentran protegidos por las Leyes Nacionales e Internacionales de Derechos de Propiedad Intelectual, siendo prohibidas las copias, collages, reproducción, divulgación o uso de los contenidos presentados en este blog, independiente de los medios o sin la autorización expresa del autor Tony Casanova, a quien corresponde, única y exclusivamente los Derechos sobre el material presentado. La violación de estos Derechos se constituye crimen previsto en la Legislación y será sancionada con los rigores legales.

Para saber más sobre Tony Casanova y la adquisición de sus publicaciones, visite ESTE LINK

Quem sou eu

Minha foto

Tony Casanova, brasileiro, natural de Salvador-BA, escreve desde 1976 e é fundador e administrador do Projeto Roda Cultural, instituição virtual de apoio ás Artes e Artistas em geral. Autor dos E-books "Panorama da Artes", "No Litoral das Relações" , "Relações Instáveis", "O Amor Fala Francês", "O amor segundo a Bíblia", este último inspirado em uma matéria sua publicada no blog Mesa Farta e que teve mais de 10.000 leitores. O escritor Tony Casanova escreve em vários estilos, tendo herdado suas técnicas a partir de leituras feitas a partir de grandes vultos da literatura brasileira, entre os quais estão Castro Alves, Rui Barbosa, Cora Coralina, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e outros. Gosta do estilo lírico e tem forte inclinação a esta técnica. O autor tem várias publicações em suas páginas da internet. Entre os gêneros literários que escreve estão a Crônica, Poesia, Poema, Ficção e Romance.

Estamos no Twitter

publicidade